Descarte de entulho: tipos, importância do descarte correto e como reduzir

Por - Atualizado em:

O descarte de entulho é, literalmente, uma pedra no pé das grandes cidades. Por onde se anda lá estão elas: pilhas e pilhas de entulho que se acumulam e impactam na beleza das ruas, na saúde dos moradores e na preservação do meio ambiente.

Por isso, se você está em meio a uma obra ou reforma fique sabendo que a responsabilidade da destinação correta do enatulho é toda sua.

Portanto é fundamental compreender todas as etapas que envolvem o descarte correto do entulho e, assim, contribuir com a sustentabilidade do planeta.

Vem ver as dicas.

Importância do descarte correto de entulho

Meio ambiente

O descarte irregular de entulho prejudica (e muito) o meio ambiente. Além do potencial risco de ser levado pelas chuvas, aumentando a incidência de enchentes, muitos tipos de entulho são considerados tóxicos e prejudiciais ao solo, as plantas e animais.

Saúde

O entulho também impacta na saúde das pessoas. Isso porque quando não descartado corretamente as substâncias presentes no entulho podem contaminar o solo, chegando até o organismo humano pelo consumo da água ou dos alimentos contaminados.

O acúmulo de entulho em áreas irregulares também contribui com a proliferação de insetos e animais peçonhentos, como aranhas e escorpiões, o que acaba impactando nas condições de saúde de quem vive próximo a esses locais. 

Economia

Você sabia que descartar o entulho corretamente traz impactos positivos para o seu bolso? Isso mesmo! Quando o entulho é pensado da forma correta, a primeira medida a se fazer é reduzir as sobras e promover o reaproveitamento dos materiais.

Assim, a obra se torna mais econômica e sustentável.

O que a legislação diz sobre isso

Em primeiro lugar é importante saber que o descarte irregular de entulho é considerado crime ambiental e os responsáveis por esse descarte devem receber as penalidades previstas em lei, geralmente multas que variam de valor de acordo com cada estado e município, além do tipo de entulho e da quantidade descartada.

Na cidade de São Paulo, por exemplo, o valor da multa para quem for pego descartando entulho irregularmente é de R$ 15 mil.

O órgão responsável pelas normas de descarte, fiscalização e aplicação de penalidades é o CONAMA (Conselho Nacional de Meio Ambiente) a partir da resolução 307/2002 e da lei 12.305/2010.

A Politica Nacional de Resíduos Sólidos também funciona como diretriz para a destinação correta do entulho.

A partir dessas resoluções federais, os estados e municípios baseiam leis próprias sobre o descarte de entulho. Uma delas, comum em praticamente todas as cidades, é a proibição de descarte de entulhos em vias públicas.

Por isso, a primeira dica é conhecer a politica de resíduos sólidos da sua cidade.

Para o uso de caçambas, por exemplo, é importante que a empresa contratada possua autorização junto a prefeitura para exercer a atividade. Dessa forma você garante que o entulho da sua obra não seja jogado em qualquer lugar.

E por falar nisso, você sabia que para cada tipo de entulho existe uma destinação correta? Materiais contaminantes, como latas de tinta e telhas de amianto, por exemplo, devem ser encaminhados para empresas autorizadas no tratamento desse tipo de resíduo ou para aterros aptos a receber materiais tóxicos.

Já materiais que podem ser reciclados devem ser enviados a empresas como cooperativas de reciclagem, por exemplo.

Ao utilizar uma caçamba legalizada a destinação dos resíduos é feita automaticamente pela empresa contratada. Mas é importante lembrar que não se deve misturar materiais recicláveis com materiais contaminantes.

Por isso tenha cuidado ao fazer o descarte e separe os materiais tóxicos em um local seguro e longe daqueles que ainda podem ser aproveitados.

Tipos de entulho

Entulho é diferente do lixo comum residencial. Esse tipo de resíduo é quase sempre composto por materiais sólidos e não orgânicos.

São exemplos de entulho de obra:

  • Tijolos
  • Concreto e argamassa
  • Terra
  • Metais
  • Peças cerâmicas
  • Tintas e solventes
  • Telhas
  • Vidros
  • Plásticos em geral
  • Madeira
  • Papelão
  • Fios elétricos

Cada um desses resíduos é classificado de acordo com o seu grau de reaproveitamento e possibilidade de contaminação. Confira abaixo os grupos usados para classificação de cada tipo de entulho:

Classe A

Os entulhos do tipo classe A são aqueles que podem ser reaproveitados na construção civil, seja na mesma obra ou em unidades de tratamento de resíduos sólidos para construção.

Entram nesse grupo materiais como telhas, tijolos, cerâmica, concreto, entre outros.

No caso do não reaproveitamento, esses resíduos devem ser destinados a aterros próprios para esse tipo de entulho.

Classe B

Os entulhos de classe B são aqueles que podem ser reciclados tanto na construção civil, quanto para outros fins.

É o caso de materiais como plástico, papelão, metais, madeira e vidro.

Classe C

Os resíduos sólidos de classe C são aqueles que não podem ser reaproveitados, nem mesmo reciclados, como é o caso de vidros temperados, por exemplo.

Ao final da vida útil, esses entulhos devem ser encaminhados para aterros específicos.

Classe D

Por fim, estão os resíduos de classe D. Esses entulhos se caracterizam pela toxicidade e os possíveis danos que podem causar para o meio ambiente e para os seres humanos.

De modo geral, os resíduos de classe D não podem ser reciclados, nem reaproveitados.

Entram nesse grupo materiais como restos de tintas e solventes, resíduos a base de amianto, lâmpadas de mercúrio, entre outros.

Como descartar entulho corretamente

Existem três formas diferentes de descartar o entulho de uma obra, especialmente aquelas menores e de pouco impacto. Anote:

Coleta domiciliar

É possível descartar no lixo comum até 50 kg de entulho. Esses resíduos devem estar armazenados em sacos com capacidade para suportar o peso.

Lembrando que materiais contaminantes não devem ser descartados no lixo comum. Nesse caso, leve até um ecoponto mais próximo da sua casa.

Já no caso de materiais recicláveis, a recomendação é fazer a triagem e em seguida encaminhá-los aos postos de recebimento de coleta seletiva.

Ecopontos

Muitas cidades do Brasil contam com espaços popularmente conhecidos como Ecopontos.

Nesses locais é possível fazer o descarte de até um metro cúbico de entulho de modo gratuito. Para isso, basta levar os resíduos até o ponto mais próximo.

Caçamba

Para o caso de uma quantidade muito grande de entulho é necessário contratar uma empresa de aluguel de caçambas.

Em geral, essas caçambas permanecem por até cinco dias no local da obra. Ao fim desse tempo, a empresa retira a caçamba fazendo o descarte adequado do entulho.

Dica: consulte informações sobre a empresa antes de pedir o serviço. Muitas delas trabalham de modo clandestino, despejando restos de obra e entulho em locais isolados, como beira de rios e matas.

Dicas para reduzir entulho

Descarte de entulho

Melhor do que descartar é reduzir. Por isso, antes mesmo de pensar em como fazer o descarte de entulho corretamente, reflita sobre como você pode reduzir a quantidade de resíduos e até mesmo eliminá-los da sua obra.

Isso é possível? Sim!

Existem materiais que reduzem significativamente a quantidade de entulho em uma obra. Quer um exemplo? O tijolo ecológico.

Os tijolos ecológicos possuem um sistema de construção muito diferente da alvenaria tradicional. Nesse método, as redes de água, luz e esgoto são instaladas ao mesmo tempo em que se levantam as paredes, evitando quebradeira. Outro diferencial diz respeito ao acabamento. Esses tijolos dispensam o uso de massa corrida, gesso e até mesmo revestimentos.

Quer mais? Então anota: o sistema de construção steel frame também é um ótimo aliado de obras sustentáveis.

Nesse tipo de construção, os perfis metálicos formam a estrutura da casa, enquanto as paredes são preenchidas por placas de concreto ou gesso fabricadas sob medida.

Desperdício zero!

Além de repensar o sistema de construção, você também pode aproveitar para repensar o uso de materiais.

Prefira materiais amigos do meio ambiente, ou seja, que não são tóxicos e que preferencialmente possam ser reutilizados ou reciclados.Por exemplo, use tintas a base de água ao invés de usar tintas com solvente.

E, por fim, mas ainda super importante: planeje cada etapa da obra. Dessa forma você evita comprar materiais desnecessários ou em exagero.

Seu bolso e o meio ambiente agradecem.