Armazenamento de alimentos: veja a importância e como armazenar corretamente

Por - Atualizado em:

O Brasil é um dos países que mais desperdiça alimentos no mundo. Segundo dados da WFP Brasil, todos os anos cerca de 40 milhões de toneladas de comida vão parar no lixo, o que equivale a uma média de 5 quilos de alimentos desperdiçados por pessoa.

É muita coisa, não é? Especialmente em um país como o nosso, onde a cada nove brasileiros, um passa fome. 

O mais triste dessa história é que boa parte desses alimentos poderiam ser consumidos se fossem armazenados corretamente. 

Pois é! O armazenamento de alimentos evita (e muito) o desperdício e ainda traz um beneficio pessoal: economia. Afinal, comida custa dinheiro, inclusive aquela que foi parar no lixo.

Por isso, já vai se preparando para anotar todas as dicas que trouxemos nesse post e diga adeus ao desperdício de alimentos.

Importância do armazenamento correto de alimentos

Existem três motivos principais pelos quais você deve se preocupar com o armazenamento correto dos alimentos. 

O primeiro deles é o desperdício relacionado a sustentabilidade. A produção de alimentos é algo que consome muitos recursos naturais, principalmente água e energia (sem citar os danos ambientais causados pelo uso de agrotóxicos). Por isso mesmo, o consumidor deve encarar o consumo de alimentos com responsabilidade e repudiar qualquer tipo de desperdício. 

O desperdício também é um grande problema do ponto de vista social, uma vez que muitos brasileiros ainda passam fome e vivem em situação de miséria. 

O segundo motivo para te fazer armazenar corretamente os alimentos é a saúde. Os alimentos, quando bem conservados, mantem suas qualidades e características nutricionais, contribuindo com a boa saúde e o bem estar. 

No entanto, quando são mal conservados, eles agridem a saúde e podem provocar intoxicação alimentar, provocada, sobretudo, por bactérias e fungos que se desenvolvem na comida. 

Por fim, o terceiro motivo é o econômico. O armazenamento correto de alimentos pode contribuir positivamente para o seu bolso. Faça as contas e coloque no papel o valor de cada alimento jogado fora. Você vai notar o tamanho da economia. 

Como armazenar alimentos

Quanto mais próximo o alimento estiver da temperatura ambiente, maiores são as chances dele estragar. 

A culpa é das bactérias e de outros microorganismos que se aproveitam da umidade e da temperatura para se proliferarem e decompor a comida. 

Portanto, sua principal tarefa é garantir que o local de armazenamento dos alimentos esteja a uma temperatura constante e preferencialmente mais fria do que a temperatura ambiente.

Mas para cada tipo de alimento existem algumas peculiaridades que vale a pena conhecer melhor, dá só uma olhada:

Grãos e cereais

Grãos secos, como feijão, lentilha, grão de bico e ervilha, por exemplo, devem ser armazenados em locais secos, ventilados e protegidos do calor e do sol.

Após abertas, as embalagens devem estar bem vedadas. Se possível, transfira o que sobrou para um pote de vidro para garantir uma melhor vedação. Inclusive, vale reaproveitar potes de conserva para essa finalidade, desde que sejam higienizados corretamente.

O mesmo vale para cereais, como arroz, aveia, trigo, entre outros. 

Depois de cozidos, esses alimentos devem ser mantidos sob refrigeração por no máximo três dias ou congelados por até dois meses.

Ovos

Os ovos devem ser armazenados na geladeira, mas não na porta como era de costume antigamente. 

Caso a sua geladeira ainda traga esse modelo de armazenamento de ovos, ignore-o e utilize um pote para guardar os ovos. 

Mas por quê? A resposta é simples: a abertura constante da porta interfere na temperatura dos ovos, isso sem contar na trepidação que pode levar a pequenas fissuras na casca que contribuem para o processo de deterioração do alimento.

Carnes

As carnes que serão consumidas no mesmo dia podem ser colocadas na geladeira. Ajeite-as sobre um prato ou travessa para evitar o vazamento de líquidos. 

O que não for usado imediatamente deve ser congelado. Mas aqui vale uma dica: congele a carne em pequenas porções, assim você descongela somente aquela que vai utilizar, uma vez que depois de descongelado o alimento não pode voltar ao freezer.

Hortaliças

Alface, agrião, rúcula, espinafre, almeirão e outros tipos de hortaliças devem ser mantidas na geladeira, dentro de potes com tampa ou sacos plásticos. 

Preferencialmente deixe tudo lavado e higienizado, mas antes de guardar na geladeira é importante que as folhas estejam secas para não estragar. 

Na geladeira elas duram, em média, quatro ou cinco dias. Não congele hortaliças.

Já vegetais como brócolis e couve flor se conservam na geladeira por até seis dias, quando mantidos embalados em sacos plásticos.

No congelador, esses vegetais duram um pouco mais, até um mês. Mas nesse caso é importante realizar o processo de branqueamento.

Legumes

Alguns legumes devem ser mantidos na geladeira, como berinjela, por exemplo. Outros, mais resistentes, como batatas e cenouras, podem ser conservados a temperatura ambiente, dentro de uma fruteira. 

Depois de cozidos, no entanto, eles devem ser guardados na geladeira por no máximo três dias.

Frutas

As frutas são muito simples de serem armazenadas, já que a maioria delas não precisa de refrigeração. Nesse caso, basta colocá-las na fruteira. 

No entanto, algumas frutas, como a banana, por exemplo, liberam gás etileno, uma substância que acelera o amadurecimento.  Por conta disso é interessante manter esse tipo de fruta afastada das demais, principalmente se a intenção é que elas demorem mais tempo para amadurecer. 

As frutas picadas ou que não foram consumidas inteiras podem ser guardadas na geladeira dentro de potes com tampa, com exceção das frutas que sofrem com a oxidação, como é o caso de maças e peras. Nesse caso, o ideal é consumir a fruta por completo.

Enlatados e industrializados

Alimentos congelados

Os alimentos industrializados devem ser mantidos em casa do mesmo jeito em que eram mantidos no supermercado. Ou seja, os que estavam no setor de frigorifico precisam permanecer sob refrigeração e os que estavam em corredores secos podem ser guardados em armários. 

Contudo, depois de abertos é importante ler no rótulo o tempo de validade. Alguns produtos duram até 30 dias depois de abertos, outros apenas três. 

Existem alguns alimentos que devem ser retirados da embalagem original após abertos, especialmente os enlatados, já que esses produtos sofrem com a oxidação. É o caso de massas de tomate, milhos e leite condensado, por exemplo.

Congelados

Os alimentos congelados comprados prontos, como é o caso de lasanhas e pizzas, devem ser mantidos no freezer na temperatura indicada pelo fabricante. 

Já os congelados feitos em casa devem ser congelados somente após o resfriamento.

Sobras

E o que fazer com o arroz ou o feijão que sobrou do almoço? Esses dois tipos de alimentos podem ser armazenados na geladeira até o dia seguinte e reaproveitados. 

O mesmo vale para carnes e legumes cozidos. No entanto, a sobra de saladas verdes temperadas não devem ser armazenadas. 

Como armazenar alimentos fora de casa

Como fazer para armazenar os alimentos na rua, fora de casa? 

Essa situação é muito comum para quem leva lanches e marmita para o trabalho, faculdade ou o treino esportivo. 

Nesses casos, o mais indicado é contar com uma bolsa térmica que mantenha o alimento na temperatura ideal. Hoje em dia existem diversos modelos, alguns até bem moderninhos que nem parecem lancheiras. 

Recipientes para armazenamento de alimentos

O tipo de recipiente utilizado para o armazenamento de alimentos também interfere na qualidade da sua comida. 

Isso porque alguns materiais, principalmente o plástico, podem contaminar os alimentos com substâncias nada amigáveis ao nosso corpo. O mais conhecido deles é o Bisfenol, conhecido também como BPA. 

No entanto, hoje em dia é possível encontrar potes plásticos livres de BPA, basta consultar a embalagem.

E sabe aquela ideia de reaproveitar potes de sorvete, margarina e maionese? Então, esqueça! Esses potes até podem ser reaproveitados, mas para outras coisas que não o armazenamento de alimentos. 

O motivo é simples: esses potes não toleram aquecimento e resfriamento, já que podem liberar substâncias toxicas.

Os recipientes mais recomendados são os de vidro com tampa hermética. Eles são mais higiênicos, livres de substâncias nocivas e vedam muito bem a comida, além de suportarem o aquecimento em microondas e forno e o congelamento.

Dicas e cuidados extras com o armazenamento de alimentos

  • Mesmo que o alimento esteja com cheiro e aparência normais não o consuma caso ele já esteja a mais de três dias na geladeira. 
  • Crie o hábito de limpar armários e geladeira com frequência. Isso faz com que você deixe de comprar itens que já tem em casa, evitando o desperdício.
  • Os alimentos com prazo de validade a vencer devem ser colocados na frente dos demais para serem consumidos mais rapidamente. O mesmo vale para aqueles que foram preparados primeiro.
  • Cuidado com a contaminação cruzada entre os alimentos. Para isso, evite manipular ao mesmo tempo alimentos crus, especialmente carnes, junto de frutas, verduras e hortaliças.