Dicas para reduzir o lixo: veja dicas essenciais para você seguir

Por - Atualizado em:

Não existe planeta B. Tudo o que se cria e se produz aqui, permanece aqui. A escova de dentes que você usou lá na sua infância continua existindo, o saquinho do salgadinho que você comeu naquela sessão de cinema também resiste em algum canto do planeta, assim como outras milhares de coisas que você, um dia, achou que “jogou fora”.

Pois é, essa ideia de “jogar fora” é totalmente equivocada e ultrapassada. Mas, você, como um ser consciente e responsável já percebeu isso e agora está aqui buscando dicas para reduzir o lixo, certo? Maravilha! Acompanhe então o post com a gente e descubra como dar esse passo importante rumo a um planeta sustentável.

A problemática do lixo

Estima-se que até 2050 serão necessários três planetas para suprir a demanda de consumo e, consequentemente, toda a produção de lixo gerada.

Atualmente só aqui no Brasil são produzidos cerca de 230 mil toneladas de lixo todos os dias, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Por ano são 80 milhões de toneladas de lixo! De todo esse montante, apenas 4% é reciclado, um numero insignificante.

E qual o problema disso? O lixo presente nos aterros e lixões é responsável diretamente pelo aumento de gases do efeito estufa e, consequentemente, pelo  aquecimento global.

Isso sem contar o lixo que não é recolhido corretamente. Em muitos locais, infelizmente, a coleta seletiva é precária, fazendo com que todo o lixo produzido pela população local acabe indo parar onde não devia, como rios, lençóis de água, mananciais e outros biomas importantes, resultando na poluição e na morte de milhares de animais e espécies botânicas.

Como reduzir o lixo: dicas gerais

Consumo consciente

O consumo consciente é uma das primeiras etapas para uma redução coerente e eficaz do lixo. Você pode até reciclar, reutilizar ou descartar corretamente o seu lixo, mas entenda, ele continuará existindo.

Para isso, procure refletir e analisar friamente os produtos que você costuma comprar. Eles realmente são necessários? Existe a possibilidade um único produto exercer mais de uma função e assim você evitar comprar itens desnecessários? Você é um consumidor compulsivo?

As respostas dessas perguntas te ajudam a reduzir o lixo,  economizar dinheiro e viver com mais leveza.

Os cinco “R”

Os cinco “r” é um conjunto de ações ambientais que tem como objetivo reduzir o lixo e provocar mudanças na estrutura de consumo da sociedade atual.

O primeiro R é o de “repensar”, ou seja, avaliar criticamente aquilo que está sendo comprado. O segundo R é o de “recusar”. Não é porque está sendo oferecido que precisa ser comprado. A lógica do mercado é vender, logo, você deve estar atento aos apelos publicitários para não se deixar levar por falsas necessidades.

Em seguida vem o R de “reduzir”. É importante consumir e precisamos disso para sobreviver, mas será que você precisa de cem pares de sapato ou de 50 calças no armário? Comece a reduzir o seu nível de consumo e, assim, produzir menos lixo.

O quarto R é de “reutilizar”. Muitos produtos ao chegarem no final da vida útil acabam indo direto para a lixeira, sem nem pestanejar. Mas será que você não poderia dar um uso criativo para ele?

Existem diversos tutoriais na internet que ensinam a reutilizar e reaproveitar os mais variados tipos de materiais. Hoje em dia tem até um nome para isso: upcycling, ou seja, um modo criativo de resignificar produtos que já perderam o sentido para o qual foram criados.

Para fechar o ciclo dos “R” vem o r de “reciclar”. Depois de repensar, recusar, reduzir e reutilizar você pode e deve reciclar. Mas, repare, somente depois de todas essas outras possibilidades já terem sido esgotadas. É fundamental entender que a reciclagem não é a salvação do mundo. Ela é importante, mas dentro desse contexto de conscientização ambiental.

É plástico?

Quando você for ao supermercado ou a qualquer outra loja prefira sempre comprar produtos que não sejam fabricados em plástico, seja no produto em si ou na embalagem.

Isso porque o plástico é um material tóxico, super poluente e que leva séculos para se decompor. Aí você deve estar se perguntando “ah, mas é só mandar para reciclagem”. Não é bem assim que funciona!

Existem diversos tipos de plástico produzidos pela indústria e, infelizmente, a grande maioria deles não é reciclável ou quando é acaba tendo um custo tão alto que acaba não compensando para as empresas de reciclagem.

Por isso, na dúvida, prefira comprar produtos fabricados em materiais com maior potencial de reciclagem como, por exemplo, aqueles com embalagens de papel, papelão, vidro ou metal.

Basta você procurar o produto equivalente na prateleira do supermercado e fazer a troca.

Qualidade x quantidade

Sabe aquela história do barato que sai caro? Isso é muito verdadeiro no descarte de lixo.

Quanto maior a qualidade de um produto, maior a sua durabilidade e, consequentemente, menores são as chances dele ir parar na lixeira.

Na maioria das vezes, optamos por comprar produtos de qualidade inferior na ilusão de estar levando para casa uma quantidade maior ou estar economizando dinheiro. Mas isso é um engano.

Uma camiseta, por exemplo, fabricada em material de boa procedência vai durar muito mais no seu armário do que outro modelo fabricado em tecido de qualidade inferior.

Resultado: você pagou mais barato, mas em um curto período de tempo vai precisar repor a peça e o planeta vai ganhar mais um lixo graças as suas más escolhas. Pense nisso, então, ok?

Tenha uma lixeira mãe

Você não precisa de várias lixeiras espalhadas pela casa, com uma sacolinha de plástico em cada uma delas.

Ao contrário, mantenha uma lixeira apenas no banheiro. Os demais lixos da casa podem ser direcionados para uma lixeira mãe responsável por receber todos os detritos produzidos na casa.

Coleta seletiva

Pode parecer obvio, mas não custa reforçar. Pratique a coleta seletiva de resíduos. Para isso, você precisa apenas separar o lixo orgânico do lixo inorgânico, ou seja, não precisa ter quatro lixeiras cada uma de uma cor ocupando o maior espaço aí na sua casa. Basta essa separação simples. Depois é só encaminhar para a coleta seletiva. Mas caso sua cidade não tenha esse serviço, procure a cooperativa mais perto e leve sue lixo até lá.

Como reduzir o lixo no banheiro

O banheiro é um dos maiores geradores de lixo em uma casa. Mas você pode reduzi-lo consideravelmente com as dicas a seguir:

Embalagens recicláveis

Na hora de comprar produtos de higiene e beleza prefira aqueles com embalagens que possam ser recicladas. As de papel e papelão são as melhores, depois vem o vidro e, por fim o plástico.

As embalagens tamanho família também são mais indicadas já que aumentam o tempo de compra de um novo produto.

Escovas de bambu

Já pensou em substituir a sua escova de dente tradicional por escovas de dente de bambu? Elas tem a mesma funcionalidade, mas com o grande diferencial de serem biodegradáveis.

Infelizmente ainda é difícil encontrar essa opção nos mercados e farmácias tradicionais, a solução é comprar pela internet.

Barbeadores permanentes

Aproveite também para reduzir os barbeadores descartáveis por barbeadores permanentes, onde apenas a lâmina é substituída.

Coletor menstrual

Troque os absorventes convencionais por coletores menstruais. Hoje em dia existem diversos modelos, como os copinhos de silicone e as calcinhas absorventes.

Hastes sustentáveis

Os famosos cotonetes com hastes de plástico também já podem ser trocados por versões mais ecológicas, como as de papel reciclado. Na internet é muito fácil encontrar opções a venda.

Discos de crochê

O algodão que você usa todos os dias para limpar a pele e remover maquiagem pode ser substituído por discos de crochê ou discos de toalha. Depois de usar é só lavar e pronto.

Como reduzir o lixo na cozinha

A cozinha é outro grande produtor de lixo doméstico, mas não se preocupe, também dá para reduzir. Veja as dicas:

Data de vencimento dos produtos

Ao chegar em casa com as compras da feira e do mercado, organize a dispensa e a geladeira, mantendo os produtos com a data de validade mais próxima na frente para que sejam consumidos primeiro.

Não compre mais do que pode consumir

Não exagere nas compras, especialmente de produtos perecíveis, como frutas, verduras e legumes. Compre somente aquilo que irá consumir na semana. Para te ajudar, vale até mesmo planejar um cardápio para que você compre somente aquilo que irá utilizar na preparação das receitas.

Congele

Tudo o que você não for consumir imediatamente e puder ser congelado, congele. Facilita sua vida e reduz o lixo produzido na cozinha.

Aproveite cascas e talos

Talos de couve, casca de banana, sementes de abobora…tudo isso é comida! Você pode fazer receitas deliciosas com essas “sobras”, reduzindo lixo e economizando dinheiro.

Sacolas retornáveis

Na hora de fazer suas compras leve junto com você sacolas retornáveis. Sim, aquelas feitas de pano.

Evite delivery

As comidas prontas são uma mão na roda naquele momento de correria, mas evite ao máximo. Junto com o pedido você recebe embalagens (muitas vezes de isopor), além de copos e talheres descartáveis. Um horror!

Faça compostagem

Por fim, quando não puder mais reduzir, nem reaproveitar, encaminhe as sobras da sua cozinha para a compostagem. Elas viram adubo para deixar suas plantinhas felizes.

Viu só como é possível reduzir o lixo, impactar positivamente no planeta e sem perder o conforto da vida moderna? Não tem mais desculpa!