Projeto luminotécnico: 60 dicas, tipos de iluminação e projetos

Conheça os principais tipos de iluminação e dicas para fazer um projeto luminotécnico ideal

Por -

O projeto luminotécnico é o estudo da iluminação artificial com a finalidade de conciliar a função de cada ambiente, seja interno ou externo, proporcionando funcionalidade, beleza e economia de energia elétrica para a construção. Essa última característica é a mais relevante, afinal, o uso exagerado de lâmpadas significa gastos extras e desperdícios de energia.

É muito importante contratar um profissional da área para auxiliar na tarefa da escolha das luminárias e calcular exatamente a quantidade necessária de luz para cada ambiente, garantindo o conforto necessário. Esse responsável leva em consideração os gostos dos moradores, sempre mostrando as propostas do projeto para que a iluminação possa usufruir de melhor maneira o local sem perder a sua identidade.

Uma dica importante é iniciar o projeto no momento da construção, pois assim há uma flexibilidade maior para mudanças, além de poder trabalhar junto com a luz natural dos ambientes. Por isso quando for realizar o projeto, ele deve conter a planta do local e especificações de lâmpadas, luminárias e os pontos elétricos.

A iluminação eficiente é aquela que trabalha também a favor da proposta de decoração: ela pode ser utilizada para criar cenários, ressaltar algum elemento, setorizar ambientes, definir áreas de circulação, valorizar algum detalhe, como por exemplo: um revestimento ou um quadro na parede.

Por ser um projeto versátil, seu uso vai depender das tarefas desenvolvidas no ambiente, sua área, o layout dos móveis e as cores utilizadas para propiciar diferentes sensações como: o aconchego, o equilíbrio e até o bem-estar através da cromoterapia.

Atualmente as lâmpadas de LED são as melhores alternativas em relação a economia, durabilidade e qualidade. Apesar do alto investimento, estes são os modelos com o melhor custo x beneficio. Caso for optar pelas lâmpadas de LED, procure as amareladas de até 3000k para salas, quartos e salas de jantar. Use as brancas de 4000k para cozinhas e banheiros.

Conheça os principais tipos de iluminação

Antes de saber os tipos de iluminação, o ideal é entender qual a finalidade principal do ambiente. Existem locais onde a quantidade de iluminação pede mais cuidado, por exemplo, um consultório médico. Já um local com o uso informal, como um depósito, a função é conseguir uma iluminação sem se preocupar com a sua aparência. Para um hotel, a estética é essencial: as luzes devem chamar a atenção para que os clientes se interessem por aquele local. Por isso é muito importante saber qual o tipo de iluminação que será utilizada para iniciar um bom projeto de luminotécnica.

Embora o tradicional seja instalar a lâmpada no centro do teto de um cômodo, existem outras formas de posicioná-las. Cada proposta e ambiente pede um tipo de iluminação específica, que pode ser difusa, direta ou indireta. Veja a seguir os três principais tipos de iluminação para projetos de luminotécnica.

Direta

O modelo direto, como o próprio nome já diz, é onde a luz que incide diretamente sobre algum ponto específico. Por exemplo: uma luminária ou abajur iluminando uma mesa de trabalho ou um criado-mudo.

Indireta

Muito comum em forros de gesso, a luz reflete na superfície branca e se distribui pelo ambiente, permitindo criar ambientes mais intimistas.

Difusa

Esse tipo de iluminação é aquele que distribui uniformemente a luz no ambiente. Por isso é muito utilizada em salas, quartos e banheiros.

Inspirações de projetos de luminotécnica

Para entender melhor, veja na prática como incorporar esse estudo em alguns projetos arquitetônicos logo abaixo:

Imagem 1 – Os forros de gesso são ótimos para um bom projeto de luminotécnica.


No projeto acima, podemos observar o uso de iluminação indireta com ajuda do forro. Essa é uma das apostas mais requisitadas na decoração, já que a luz sai destes rasgos no gesso tabicado. Os spots também complementam a iluminação com uma distribuição uniforme em todo o ambiente.

Imagem 2 – Para o Home Office: a luminária tubular é uma ótima aposta.


Por ser mais comprida, ela consegue percorrer a luz em toda a extensão da mesa de trabalho.

Imagem 3 – Invista em uma iluminação de destaque para a fachada.


Além da composição dos materiais, valorizar a fachada durante a noite é muito importante. Uma opção é apostar em balizadores no chão para destacar a circulação com lâmpadas de LED de 3000k que possuem baixo consumo e duram mais tempo.

Imagem 4 – Ótima opção para iluminação de quarto.


As fitas de LED atrás da cabeceira são charmosas, além de serem ideais para quem não quer acender a luz do forro durante a noite.

Imagem 5 – Iluminação para banheiro.


Procure uma iluminação mais uniforme e intensa. Instale uma luminária principal que distribua a luz em todo o espaço e coloque uma iluminação decorativa próxima a bancada em frente ao espelho. Nesse caso, evite lâmpadas que criem sombras, pois elas atrapalham na visualização.

Imagem 6 – A iluminação de camarim é ideal para compor o cenário de maquiagem, além de ter uma função decorativa no ambiente.

Imagem 7 – Fitas de LED atrás do espelho.


Essa técnica é muito comum para decorar os banheiros, pois elas dão a impressão de que o espelho flutua sobre a parede. O visual fica mais leve e deixa o local com uma iluminação adequada.

Imagem 8 – Luz indireta para escritório.


Esse tipo de iluminação embutida na parede é perfeito para esse tipo de local, já que a incidência não ocorre diretamente na tela do computador, o que pode causar um certo desconforto e deixar o ambiente mais cansativo.

Imagem 9 – Os rasgos no gesso permitem um desenho no forro e trazem beleza para o ambiente.

Imagem 10 – Iluminação para Home Theater ou sala de cinema.


Para o projeto iluminação dessas salas é preciso considerar a localização da televisão e evitar que as luzes reflitam na tela, o que pode atrapalhar o momento de assistir a TV ou um filme. Neste ambiente, prefira a iluminação indireta, o que deixa o ambiente mais confortável visualmente.

Imagem 11 – Trabalhe também com o forro de madeira.


Esse tipo de forro é elegante e deixa o ambiente mais acolhedor devido ao seu material. Nesse projeto, o forro consegue delimitar os ambientes, sem que forme uma única sala ampla. Os diversos pontos de iluminação variam desde os trilhos até a sanca de madeira aberta com luz, que valoriza ainda mais a composição dos materiais no teto.

Imagem 12 – Luz branca para o banheiro.


A área do espelho deve contar com uma boa iluminação, preferencialmente com luz branca, deixando o espaço melhor iluminado e mais próximo da realidade, tornando a área ideal para maquiagem.

Imagem 13 – O perfil do morador é muito importante na escolha das luminárias.


Em uma sala de estar com mesas de centro ou de canto, os pontos de iluminação podem ser focados nesses objetos. Além de formar uma composição bonita, ajudam na iluminação do ambiente.

Imagem 14 – Luz embutida na marcenaria.


Um ponto importante do projeto de iluminação são as luzes instaladas no guarda-roupas, o que ajuda no momento de escolher a peça. Nas prateleiras, a iluminação pode destacar os objetos decorativos como livros, vasos e quadros.

Imagem 15 – Por ser um morador que utiliza pouco a cozinha, a aposta foi em uma iluminação mais intimista.


Nesta proposta de iluminação para a cozinha, a ideia foi de investir em pendentes sobre a mesa: conferindo uma iluminação mais intensa para a área, com conforto para as refeições realizadas na bancada.

Imagem 16 – Os rasgos de luz no forro de madeira valorizam a decoração do quarto.


O ambiente ainda conta com lâmpadas amarelas, que trazem mais charme para a proposta decorativa e a sensação de aconchego por conta da temperatura de cor das lâmpadas.

Imagem 17 – A iluminação pode ainda destacar o revestimento da parede.

Imagem 18 – Os trilhos eletrificados são uma ótima opção para casas alugadas.


Dessa forma não há necessidade de quebrar nenhuma estrutura da construção, o resultado é uma casa com um projeto de iluminação pensado nas suas necessidades.

Imagem 19 – As luzes instaladas embaixo dos degraus deixam o visual mais leve e elegante.

Imagem 20 – O rasgo no forro permite a incidência de uma iluminação indireta na área da bancada do banheiro.

Imagem 21 – Iluminação decorativa para a cozinha.


A iluminação nesse projeto valoriza todos os detalhes do ambiente, como as cores, os móveis e os materiais. A iluminação mais suave se deve aos trilhos de spots direcionados para a área de cocção, a marcenaria e os eletrodomésticos.

Imagem 22 – Iluminação para quarto de bebê.


Os pontos de LED são uma ótima opção para um quarto de bebê, pois eles levam todo o ar lúdico que o ambiente precisa. Além disso, as arandelas fazem um ótimo papel para facilitar nas atividades de trocar de roupa, fraldas e outros afazeres.

Imagem 23 – Luzes em neon são a última tendência na decoração.

Imagem 24 – Para os quartos, aposte nos dimmers.


Esse ambiente pede conforto e aconchego, por isso, utilizar um medidor de intensidade de luz é interessante dependendo de sua atividade. Afinal, o quarto é um local de relaxamento, mas também pode ser um local de trabalho. Para a iluminação geral, é recomendável o uso de luminárias com lâmpadas incandescentes. Abajures e luminárias com lâmpadas no tom amarelado ajudam a deixar o ambiente mais intimista.

Imagem 25 – A iluminação na cor amarela foi ideal para compor com o painel de madeira.

Imagem 26 – Arandelas bidirecionais criam um efeito decorativo na parede.

Imagem 27 – Ilumine os nichos da marcenaria com os spots de LED.

Imagem 28 – Contornar os móveis é uma alternativa para destacá-los no ambiente.

Imagem 29 – Os fios de iluminação são ideais para um quarto infantil e criam uma iluminação bem leve para o ambiente.

Imagem 30 – Na cozinha, procure uma iluminação difusa e uniforme.


Veja que além dos spots que iluminam a bancada de refeição, a cozinha conta com um único ponto de luz que busca iluminar o ambiente interior por igual. As lâmpadas indicadas são as brancas, uma vez que o espaço necessita de iluminação intensa e clara. E como esse projeto possui uma sala de jantar integrada, o ideal é criar uma atmosfera mais social com o uso de pendentes sobre a mesa de jantar,  deixando o ambiente moderno e garantindo que toda a mesa receba uma ótima iluminação.

Imagem 31 – A lâmpada de filamento de LED ou LED retrô remete a ideia das lâmpadas incandescentes, mas com economia de até 10 vezes menos energia consumida.


Esse tipo de lâmpada é ideal para ser utilizada no estilo cascata, presa em uma base formando lâmpadas pendentes. Existe um modelo muito parecido que é o de filamento de carbono, porém, seu  consumo é bem maior, o que acarreta em mais calor do que luminosidade.

Imagem 32 – Ilumine os degraus da escada.

Imagem 33 – Para ambientes integrados, procure harmonizar com um mesmo visual de luminárias e temperatura de cor.


Neste projeto acima, podemos observar o uso dos trilhos de iluminação que percorrem todos os ambientes integrados. A variação entre a luz branca e amarela é aceitável: nestes casos, utilize luminárias com o mesmo formato.

Imagem 34 – Opte por luminárias compridas e com iluminação indireta no corredor.

Imagem 35 – Iluminação para área de trabalho.


O direcionamento das luzes e a iluminância são de extrema importância para deixar o ambiente mais adequado para o desenvolvimento da atividade. Nesta proposta, a iluminação direta branca foi usada em arandelas de parede que ficam próximas a bancada de trabalho. Para não errar no projeto, leve em consideração o posicionamento do computador e das lâmpadas, de modo que a luz não reflita na tela do equipamento.

Imagem 36 – O objetivo dos spots é destacar os objetos presentes em cada prateleira.

Imagem 37 – Iluminação decorativa para o corredor.


Nesta proposta, a composição arquitetônica e a luminotécnica trabalham juntas. O corredor com parede de tijolo e o forro ajudam a dar sensação de um ambiente mais longo, enquanto a luz que contorna essa superfície destaca a circulação.

Imagem 38 – Spots e fios de LED decoram essa escada.

Imagem 39 – A iluminação permite destacar ainda mais o desenho desse forro.

Imagem 40 – Sala de estar com iluminação difusa.


Esse tipo de iluminação é ideal para a sala, pois a luz se espalha uniformemente por todo o ambiente. Nesta proposta, a iluminação difusa e branca foi instalada nos rasgos do gesso. A iluminação direta conta com os spots para iluminar o quadro na parede.

Imagem 41 – Corredor com luz indireta.

Imagem 42 – Arandelas decoram ainda mais um quarto de bebê.

Imagem 43 – Além dos spots, esse quarto conta com uma luminária direcional, permitindo a iluminação de qualquer canto deste ambiente.

Imagem 44 – O forro de gesso consegue priorizar uma iluminação para cada tipo de atividade.


Um quarto infantil deve levar em conta todas a atividades que as crianças desenpenham nesse ambiente. No projeto acima, os spots funcionam como iluminação principal, já as secundárias reforçam as outras funções das crianças neste cômodo, como a leitura ao lado da cama e o estudo na pequena mesa no meio do quarto.

Imagem 45 – As ripas de gesso funcionam como um item decorativo e como forro de iluminação.

Imagem 46 – A decoração industrial vai além dos materiais.

Imagem 47 – Iluminação para sala clean.

Imagem 48 – Sala de estar com iluminação difusa e indireta.


A prioridade nesse projeto é destacar o forro de iluminação, deixando a iluminação mais clean no centro da sala.

Imagem 49 – Os spots devem ser posicionados de acordo com o layout do ambiente.

Imagem 50 – Iluminação corporativa.


Além dos tradicionais forros, o escritório deve contar com luminárias principalmente nas estações de trabalho.

Imagem 51 – O contraste do preto na decoração com a luz amarela deixa o ambiente moderno e intimista.

Imagem 52 – Iluminação intimista para sala de estar.


Para essa proposta trabalhe com uma iluminação específica para valorizar ainda mais os móveis e a decoração que harmonize com os revestimentos.

Imagem 53 – Por ser uma sala beneficiada com a luz natural, os detalhes do projeto de luminotécnica ficam por conta da estante com fitas de LED que se destacam no ambiente.

Imagem 54 – Iluminação para sala e cozinha integradas.


O gesso é a melhor forma para integrar dois ou mais ambientes, pois um único material consegue harmonizar essa ligação. No projeto acima, no forro de gesso rebaixado, foram instaladas lâmpadas embutidas da cor amarela que refletem luz nas cortinas e no forro.

Imagem 55 – Brinque com a altura dos forros e das luminárias.

Imagem 56 – Misture diferentes tipos de trilhos em um mesmo ambiente.


Dessa forma é possível criar uma decoração mais arrojada no ambiente, saindo um pouco do tradicional e diversificando nos tipos de luminárias e tipos de acabamentos.

Imagem 57 – Aplique uma iluminação decorativa no ambiente.


A iluminação destaca os quadros na parede e realça os tons azulados das obras de arte. Mangueiras de LED instaladas na marcenaria levam mais sofisticação ao projeto dessa sala de estar.

Imagem 58 – Na área do jantar, um pendente ilumina e valoriza a área quando utilizada pelos moradores.

Imagem 59 – Concilie a iluminação natural em seu projeto de luminotécnica.


Seria impossível não aproveitar a luz natural nesse espaço, já que ela conta com muitas janelas em sua extensão. Mesmo assim, é ideal aplicar alguns focos de luz nas bordas do ambiente, tornando a iluminação artificial acolhedora e mais intimista. Além disso, os spots no piso realçam ainda mais o painel ripado de madeira e determina a área de circulação.

Imagem 60 – Corredor com trilho de iluminação.

Os trilhos também são ótimos itens para corredores por serem longos e flexíveis, como a dimensão desse espaço. Nesse caso, como o closet é integrado ao quarto, o trilho consegue direcionar as lâmpadas de acordo com a sua necessidade, facilitando desde a troca de roupa até no momento da maquiagem.