Reciclagem de vidro: o que é? como fazer, contexto e dicas essenciais

Por - Atualizado em:

Pode apostar que agora, nesse exato momento, você tem pelo menos uma garrafa de vidro na geladeira e um potinho (também de vidro) em algum lugar do armário.

Esse é um dos materiais preferidos pela indústria para fabricação de embalagens. E até aí tudo bem.

A pergunta que fica é: o que você faz com que esse vidro depois que o conteúdo dele já foi utilizado?

Infelizmente, ainda hoje no Brasil, a maior parte dessas embalagens acaba indo parar no lixo comum.

Mas se você deseja dar uma destinação mais consciente e amigável ao meio ambiente, então já fique sabendo que a reciclagem de vidro é uma solução muito interessante para resolver esse problema.

Vamos entender melhor como é possível fazer a reciclagem de vidro no Brasil? Acompanhe o post com a gente.

Entendendo o vidro e sua origem

O vidro é um dos únicos materiais que podem ser considerados como infinitamente recicláveis, ou seja, ele pode ser reciclado inúmeras vezes sem perder as características originais de qualidade, resistência e durabilidade.

Mas, afinal, o que torna o vidro um material tão nobre assim? O vidro é o resultado de uma combinação entre diferentes substâncias, entre elas, a areia, o calcário, o carbonato de sódio e o óxido de alumínio.

Essa mistura é levada a altas temperaturas, moldada e depois resfriada até se tornar os recipientes e embalagens que conhecemos.

Estima-se que o vidro surgiu entre os egípcios há mais de quatro mil anos. E o mais interessante é que esses primeiros artefatos feitos em vidro permanecem inalterados até hoje.

Ou seja, isso só comprova a teoria de que o vidro leva, no mínimo, dez mil anos para se decompor na natureza. No entanto, alguns cientistas acreditam que o material pode permanecer inalterado por até um milhão de anos. Muito tempo não é mesmo?

Reciclagem de vidro no Brasil: contexto, impacto e dificuldades

O Brasil produz, todos os anos, cerca de 980 mil toneladas de embalagens de vidro. Isso sem mencionar os demais produtos fabricados com o material, como janelas, parabrisas, lâmpadas, entre outros.

E qual o problema disso? Apenas 45% de todo esse vidro produzido é destinado para a reciclagem. O restante se acumula em lixões ou vai parar em locais inadequados, como encostas de rios e matas.

Além de poluir o meio ambiente, todo esse vidro não reciclado se transforma em desperdício de recursos naturais e matérias primas.

Isso porque o vidro é um material 100% reciclado, ou seja, cada tonelada de vidro descartado gera a mesma tonelada de vidro reciclado. Não há desperdício no processo, nem sobras. O aproveitamento é total.

Com isso, a necessidade de extração de matéria prima diminui e o consumo de água e energia utilizada para a fabricação também. Sem mencionar a redução da produção de CO2 e outros gases responsáveis pelo efeito estufa.

Estima-se que a reciclagem de apenas uma embalagem de vidro economiza energia elétrica o suficiente para acender uma lâmpada de 100W por 20 minutos.

Outra grande vantagem da reciclagem de vidro é a geração de emprego e renda. Catadores, cooperativas e empresas que compram esse tipo de resíduo tem potencial para movimentar cifras milionárias na economia brasileira.

Dados do setor de reciclagem indicam que empresas que trabalham com a venda de resíduos reciclados de vidro podem movimentar, mensalmente, até R$ 270 mil.

Mas porque isso não acontece? Se a reciclagem de vidro é tão benéfica para o meio ambiente, para a sociedade e para a economia porque ela não é mais estimulada?

O maior entrave em relação a reciclagem no Brasil ainda está no precário serviço de coleta seletiva. Atualmente pouquíssimas cidades fazem esse trabalho. Com isso, a população também deixa de ser informada e conscientizada sobre a importância da reciclagem.

Outra dificuldade é o baixo valor deste produto para catadores e cooperativas, o que automaticamente desincentiva a comercialização.

A logística do vidro também é um fator que impacta na reciclagem. Primeiro porque existem poucas empresas que fazem o beneficiamento das embalagens, segundo motivo é a dificuldade em transportar o material, uma vez que essas poucas empresas muitas vezes ficam distantes dos locais de coleta, dificultando o acesso e tornando o processo mais custoso.

A Lei nº 12.3025/2010 que estabelece a Politica Nacional de Resíduos Sólidos prevê uma serie de ações com o objetivo de estimular e incentivar a reciclagem.

Algumas empresas atentas a questão da sustentabilidade propõe, em conjunto com seus clientes, ações de logística reversa. Ou seja, a embalagem depois de utilizada pelo consumidor e devolvida para a empresa por meio de pontos de recolhimento e cabe a empresa oferecer a destinação mais adequada ou reaproveitá-la dentro de seus processos.

O exemplo mais comum são as garrafas retornáveis de bebida. Além de pagar mais barato, o consumidor ainda colabora com a destinação correta da embalagem.

Processo de reciclagem de vidro: como e onde fazer

Você aí vendo tudo isso deve estar pensando como fazer sua parte e contribuir com a sustentabilidade do planeta.

No que diz respeito a reciclagem de vidro, o processo é simples. Primeiro, é importante conhecer e identificar os diferentes tipos de vidro para assim fazer a destinação correta. Veja a seguir as categorias de vidro que podem (e devem) ser enviadas para reciclagem:

  • Embalagens de vidro (palmito, milho, alimentos em conserva, geleias, doces, entre outros)
  • Garrafas de vidro (vinho, refrigerante, cerveja, etc)
  • Embalagens de remédio feitas de vidro
  • Frascos de perfume, loções, cremes e cosméticos
  • Pratos, tigelas, copos e louças em geral (Atenção: não confunda vidro com cerâmica e porcelana, esses materiais não são recicláveis)
  • Vidros de janelas e portas
  • Para-brisas de carro
  • Cacos de vidro de qualquer embalagem citada acima

Todos esses resíduos podem ser destinados a reciclagem, mas sempre embalados cuidadosamente em sacos plásticos ou caixas de papelão para que não quebrem durante o transporte.

Para a reciclagem de cacos de vidro é importante envolver e identificar os pedaços em papelão ou jornal a fim de evitar acidentes com os profissionais envolvidos na coleta seletiva.

A reciclagem de lâmpadas deve ser feita em postos de coleta específicos para o material, geralmente encontrados em supermercados e lojas de material de construção.

Depois de separar todo o vidro reciclável você deve destiná-lo para alguma cooperativa ou entregar para catadores, isso, é claro, se na sua cidade não houver ainda coleta seletiva de resíduos.

Alguns sites na internet, como o eCycle, por exemplo, oferecem uma lista completa de cooperativas onde é possível fazer a entrega dos materiais recicláveis. Basta você informar o seu CEP que o sistema busca o ponto de coleta mais próximo da sua casa.

Reciclagem de garrafas de vidro

A reciclagem de garrafas de vidro segue a mesma lógica citada acima. No entanto, vale a pena observar se a marca oferece sistema de logística reversa.

Geralmente embalagens de refrigerante e cervejas fazem esse trabalho. Nesse caso, basta se dirigir ao ponto mais próximo e trocar a embalagem vazia por outra cheia pagando a diferença.

Upcycling: um novo olhar para o “lixo”

Como sempre não custa nada repetir que antes mesmo de pensar em reciclagem é importante praticar os 5 R da sustentabilidade: repensar, recusar, reduzir, reaproveitar e por último, reciclar.

A reciclagem é o último estágio na cadeia produtiva e da chamada economia circular, onde o foco está na conscientização do consumo.

Por isso é sempre importante lembrar que a reciclagem não é o caminho para a sustentabilidade. Pelo contrário, esse caminho passa primeiro pela redução e ressignificação dos hábitos de consumo.

Em seguida, deve entrar em jogo o reaproveitamento daquilo que chegou ao final de sua vida útil. Atualmente esse conceito passou a se chamar upcycling, ou seja, reutilização.

Será mesmo que o pote de vidro precisa ser jogado fora? Não dá para transformá-lo em algo ai na sua casa? De repente um vaso, um porta trecos ou um porta mantimentos?

Com certeza será possível destinar essas embalagens para outras funções. As garrafas de vidro, por exemplo, pode ser facilmente convertidas em peças decorativas e as do tipo long neck podem até se transformar em copos.

A internet está cheia de ideias nesse sentido. Quer ver só? Então dá só uma olhada nessas três ideias de reciclagem de vidro para você fazer aí na sua casa:

O que fazer com garrafas de vidro

Ideias com potes de vidro

Como fazer copos com garrafas de vidro

Viu só como é fácil dar um novo destino as suas embalagens de vidro? E quando não puder reaproveitar, já sabe, só enviar para reciclagem.