Reforma de cozinha: confira os erros mais comuns, etapas e dicas essenciais

Por - Atualizado em:

Trocar piso, pintar paredes, instalar luminárias, etc, etc, etc. Pois é! O check list de uma reforma de uma cozinha pode ser longo e trabalhoso, mas também pode ser tranquilo, rápido e eficiente. 

Tudo vai depender de como você lida com o planejamento de uma obra como essas. E já fique sabendo de uma coisa: com as informações certas esse processo de reforma da cozinha será muito gratificante.

A gente aqui te ajuda com dicas espertas. Bora conferir?

Erros comuns na reforma da cozinha

Erros comuns na reforma da cozinha

Antes de tudo vamos falar sobre o que você não deve fazer na hora de reformar a cozinha.

Evitando erros clássicos tudo fica mais fácil. Portanto, tome nota das dicas a seguir:

Planejamento

Nem tente começar uma obra ou reforma (por mais simples que seja) sem um bom planejamento.

Arriscar nisso pode trazer prejuízos de tempo e dinheiro, algo que muito provavelmente você não quer, não é mesmo?

Funcionalidade

Um erro muito comum em reformas de cozinha é negligenciar a importância da funcionalidade.

Isso porque a cozinha é um cômodo funcional por excelência, ou seja, ela precisa ser organizada e pensada para que tudo seja prático e útil no dia a dia.

A funcionalidade implica em espaços adequados para mobilidade dentro do ambiente, armários que se ajustem aos espaços disponíveis, a disposição correta dos eletrodomésticos, entre outras coisas.

Iluminação

A iluminação, seja natural ou artificial, é muito importante na cozinha. Portanto, coloque esse item na lista do planejamento. Um erro na iluminação pode comprometer tanto a funcionalidade do ambiente, quanto a estética.

O ideal é priorizar a luz natural durante o dia e criar um ótimo sistema de iluminação para o uso noturno, a partir de luminárias direcionadas e spots, por exemplo.

Tendências

Seguir tendências em uma reforma de cozinha pode ser um tiro no pé, uma vez que as tendências são passageiras e muito provavelmente sua cozinha ficará desatualizada em pouco tempo.

Por isso prefira investir em elementos clássicos e atemporais para locais permanentes, como pisos, revestimentos e bancadas.

Use cores e outros acessórios da moda apenas em itens que podem ser facilmente substituídos, como utensílios de cozinha, vasos ou até mesmo luminárias. 

Armazenamento

Na hora de fazer a reforma da sua cozinha estabeleça qual a necessidade de espaço que você precisa, tanto para armazenamento da despensa, quanto para organizar louças, talheres e outros utensílios.

É muito comum não se programar adequadamente para esse aspecto da reforma e acabar com armários ora grande demais, ora pequenos demais.

Tomadas

Nada de ficar com o liquidificador apoiado na cadeira só porque esqueceu de colocar uma tomada na bancada da pia.

Não cometa esse erro! O ideal é mapear onde ficarão os seus eletrodomésticos para que assim você possa estabelecer os pontos de energia necessários.

Etapas da reforma da cozinha

Etapas da reforma da cozinha

Orçamento, necessidades e planejamento

Qualquer obra ou reforma precisa partir de três itens essenciais: o orçamento disponível, as necessidades dos moradores e, por fim, o planejamento que engloba esses dois aspectos anteriores.

Podemos dizer que o orçamento é o carro chefe de qualquer reforma. Sem uma ideia clara e precisa do quanto se pode gastar fica muito difícil planejar a cozinha dos sonhos.

Por isso, em primeiro lugar, avalie o seu orçamento e veja o quanto pode destinar a essa reforma.

Em seguida, defina prioridades e necessidades. O que é prioridade na sua cozinha? A iluminação? O encanamento? Os móveis? Tenha essa listinha em mãos antes de iniciar o planejamento.

Depois também é importante definir as necessidades dos moradores. Avalie se a cozinha possui as medidas necessárias para atender as demandas da casa, se os armários são suficientes, entre outros aspectos.

E se você deseja ampliar a cozinha fazendo a integração com a sala de estar e jantar, por exemplo, esse é o momento.

Estrutura

Depois de analisar tudo chegou a hora de entender a estrutura que envolve a cozinha.

Antes de qualquer intervenção é fundamental conhecer onde estão as vigas de sustentação, as redes de água e luz e o material com que foi feito o teto (forro, estuque ou laje, por exemplo).

Na dúvida, procure um arquiteto ou engenheiro. E, jamais, em tempo algum, derrube paredes antes de conhecer a estrutura.

Reforma total ou parcial

Complementando a ideia acima, também é importante que você defina se a reforma da cozinha será total, ou seja, vai envolver a troca e manutenção de toda a rede hidráulica e elétrica, pisos, revestimentos, armários e bancadas, ou, então, apenas parcial, com modificações leves, como pintura ou substituição de armários. 

Hidráulica e elétrica

Em alguns casos pode ser que seja necessário trocar toda a rede hidráulica e elétrica da cozinha, especialmente no caso de imóveis mais antigos.

Outro fator que pode implicar nesse tipo de reforma é a mudança de lugar da bancada da pia e dos pontos de luz, por exemplo.

Caso essa mudança seja necessária já fique sabendo que ela entrará na primeira etapa do cronograma da reforma.

Pisos e revestimentos

Em seguida vem a reforma dos pisos e revestimentos. Hoje em dia a preferência é pelo uso de pisos mais práticos e modernos, como o porcelanato.

Nas paredes, o revestimento deixa de ser usado na área total para ser aplicado apenas na região sobre a bancada da pia, o que confere a cozinha um visual mais clean e moderno.

Móveis

Falar em cozinha sem falar em móveis planejados é praticamente impossível. Isso porque esse tipo de mobiliário consegue se adaptar perfeitamente ao espaço, deixando-o muito mais funcional.

Contudo se a sua intenção é economizar, invista na reforma dos móveis já existentes. Uma boa ideia, por exemplo, é usar adesivo vinil nas portas para mudar a cor. Outra opção é trocar os puxadores, escolhendo modelos mais modernos.

Em todo caso, se tiver uma graninha extra vale muito a pena investir em um móvel planejado para a cozinha, principalmente se ela for pequena.

Bancada

Por fim, mas ainda essencial, é a bancada da cozinha. É nela que os alimentos serão preparados e as refeições são servidas.

Os modelos mais comuns de bancada são as de granito e mármore, no entanto, hoje em dia ainda é possível optar por materiais mais modernos e eficientes como o Silestone.

E para quem não abre mão de um visual clássico e atemporal, a madeira é uma ótima pedida, apenas é importante destacar que o material se deteriora com facilidade caso as manutenções não sejam realizadas com frequência.

Como reformar cozinha com pouco dinheiro

Como reformar cozinha com pouco dinheiro

Orçamento baixo não é desculpa para deixar de reformar a cozinha. Pelo contrário, é mais do que possível reformar uma cozinha com pouco dinheiro.

Para isso, confira as dicas:

Piso sobre piso

Uma ótima maneira de reformar a cozinha com pouco dinheiro é investindo no piso sobre piso.

Aqui, a ideia é manter o piso original e sobre ele assentar o novo piso. Atualmente existem argamassas próprias para esse tipo de instalação. No entanto, é preciso ficar atento as portas, já que o aumento no nível do piso pode atrapalhar a abertura e o fechamento.

Pintura no lugar de revestimento

E o que acha de pintar as paredes e os revestimentos ao invés de trocar tudo? Essa é uma ideia que tem feito muito sucesso atualmente e que vale a pena ser considerada quando a ideia é reformar a cozinha gastando pouco.

Prateleiras e nichos

Já aqui a dica é investir em prateleiras e nichos no lugar de armários aéreos. Além de ser uma solução muito mais barata, tanto as prateleiras, quanto os nichos são super indicados para espaços pequenos e ainda trazem um toque de modernidade ao ambiente.

Reforma de cozinha pequena

Reforma de cozinha pequena

A realidade de muitas casas hoje em dia é a cozinha pequena. E para uma reforma desse tipo não tem outra saída senão um bom planejamento.

A primeira dica é apostar em uma cozinha americana, caso a planta da casa ainda não contemple esse formato.

A cozinha americana ajuda a ampliar física e visualmente o espaço da cozinha, além de ser mais confortável e aconchegante.

Outra boa dica para a reforma de uma cozinha pequena é apostar em cores claras, tanto para os pisos e revestimentos, quanto para os móveis.

O uso de vidros e espelhos também contribui para a sensação de espaço e profundidade.

Reforma de cozinha antiga

Mas se a sua cozinha for antiga então o planejamento da reforma deve começar de um jeito bem diferente. Aqui, você tem duas opções: a primeira é investir em uma grande obra, mais complexa e estrutural, substituindo canos e fios elétricos e, por vez, contando até mesmo com a derrubada de paredes.

Outra opção é manter o visual da cozinha antiga e partir para uma reforma mais básica, mudando apenas a cor dos revestimentos a partir de uma pintura e substituir móveis e bancadas.

Tudo vai depender da sua necessidade e do seu orçamento.

Reforma de cozinha em casa alugada

Quem disse que uma cozinha de casa alugada não pode ter a sua cara? Pode sim! Mas para isso é importante planejar a reforma a partir de pontos que não interfiram na estrutura do imóvel.

Por isso, prefira pinturas ao invés da troca de revestimento, instale prateleiras e adesive os armários. Tudo isso já garante um toque de personalidade ao ambiente sem a necessidade de grandes intervenções.

Quanto custa reformar cozinha?

A pergunta que não quer calar: afinal de contas quanto custa reformar a cozinha? A resposta é: depende.

Sim, depende muito do tipo de reforma que você pretende fazer: total ou parcial. Depende ainda dos materiais que você escolher para a reforma, por exemplo, uma bancada de Silestone pode custar até três vezes mais do que uma bancada de granito.

Mas, só para você ter uma ideia, uma reforma completa de cozinha (hidráulica, elétrica, piso, revestimento, móveis e bancada) pode custar até R$ 25 mil, sendo que R$ 13 mil é o valor mínimo que você provavelmente irá investir.

Pronto para começar a reforma da cozinha?