Como conservar alimentos: veja dicas práticas para você seguir no dia a dia

Por - Atualizado em:

Cada vez mais percebemos uma preocupação geral com assuntos relacionados ao meio ambiente e à saúde.  Hoje em dia, muitas pessoas têm evitado o consumo exagerado de produtos embalados em plástico, o uso de agrotóxicos na agricultura e preferido alimentos de origem orgânica.

É claro que consumir alimentos frescos é muito mais gostoso, saudável e, também, mais barato! O único inconveniente é que esses alimentos não têm conservantes artificiais e acabam durando bem menos. E ninguém gosta de desperdiçar comida, muito menos de jogar dinheiro fora.

Pensando nosso, aqui vão algumas dicas de como conservar alimentos por mais tempo. Assim, ajudamos você a reduzir gastos mensais e evitar o desperdício, o que contribui diretamente com a preservação do meio ambiente, da sua saúde e do seu bolso. 

Dicas práticas: como conservar alimentos no dia a dia

Algumas atitudes simples ajudam você a evitar desperdícios em sua casa. Confira! 

1. Cuidado com o olho grande!

Os alimentos crus, in natura, ou dentro das embalagens duram mais tempo do que os alimentos que já passaram pelo preparo. Por isso, sempre que for preparar um alimento, calcule o quanto será consumido e em quanto tempo. Por exemplo, o arroz cru dura anos na embalagem, mas o arroz cozido dura poucos dias na geladeira.

2. O freezer é seu melhor amigo!

Sem dúvidas, a melhor maneira de como conservar alimentos é o freezer. Lá é possível armazenar quase tudo: frutas (para fazer deliciosos sucos e smoothies), legumes e até refeições prontas, como feijão e massas. 

Mas atenção à forma correta de congelá-los! Evite misturar alimentos diferentes no mesmo recipiente. E lembre-se de que alimentos preparados com laticínios, ovos e carnes duram menos tempo, mesmo após congelados.

3. Atenção aos laticínios!

Leites frescos e de saquinho necessitam de refrigeração imediata após serem fervidos, pois não contam com conservantes na composição. Também devem ser consumidos o quanto antes. Por isso, o ideal é comprar esse tipo de leite quando ele será consumido rapidamente. Por exemplo, quando houver várias pessoas para o café da manhã ou quando você preparar uma receita que vai muito leite.

Leites de caixinha – de origem animal ou vegetal – são ideais para pessoas que moram sozinhas ou consomem pouco. Fechamos, eles podem ser mantidos fora da geladeira. Após a abertura, é recomendado colocá-los na geladeira imediatamente e consumi-los em até três dias ou de acordo com a recomendação da embalagem.

Manteiga lacrada também suporta um bom tempo fora da geladeira, mas, após aberta, deve ser mantida em refrigeração e consumida em alguns dias. Quem não gosta de manteiga dura pode experimentar deixá-la na porta da geladeira, pois a temperatura é menos estável. 

Queijos frescos e iogurtes devem ser mantidos na geladeira, preferencialmente na parte de cima, destinada aos ‘’frios’’. Ali a temperatura é mais estável e mantém os produtos em bom estado por longos períodos.

4. Frutas e hortaliças devem ser frescas e hidratadas

Frutas e legumes podem ser mantidos na gaveta da geladeira. Essa é uma opção ideal para quem quer saber como conservar alimentos desse tipo. Algumas frutas, como a maçã e o limão, suportam bem alguns dias fora do refrigerador, dependendo do clima da sua região. Se preferir acomodá-las na fruteira, você pode borrifar água todos os dias para evitar que desidratem, conservando-as por mais tempo.

Frutas como banana, manga, mamão, morango e maracujá, quando congeladas, podem virar sorvetes, smoothies e sucos deliciosos. Quando perceber que não vai dar conta de consumi-las no tempo adequado, guarde-as picadas no freezer em embalagens plásticas. 

5. Deixe pães dentro do saco!

Armazenar pães na geladeira não é uma boa ideia, pois ele resseca, perdendo textura e sabor. Por isso, o melhor é mantê-los fora da geladeira, em recipientes fechados. 

O pão francês até pode ser congelado ou mantido em saco vedado, mas o ideal é usá-lo depois para torradas ou para fazer pão na chapa. Os pães de forma podem ser mantidos na embalagem fechada com o arame. 

6. Cuide de seus grãos e cereais!

Produtos como arroz, linhaça, granola ou aveia podem ser atacados por bichinhos, como carunchos e formigas. Para evitar isso, basta guardá-los em potes bem vedados, de preferência em vidros bem limpos.

Também é importante manter esses alimentos em locais secos, para evitar a contaminação por fungos.

7. O que fazer com os ovos?

Ovos, ao contrário do que fabricantes de geladeiras pensam, devem ser guardados em recipientes adequados, nas prateleiras da parte interna da geladeira, e não na porta. Deve-se evitar contato com qualquer alimento que possa contaminar a casca, como carnes e outros produtos crus.

8. Conheça os alimentos que podem durar “para sempre” – ou quase

Se você é prevenido e, por algum motivo, prefere estocar comida por um longo período, é ainda mais importante ainda saber como conservar alimentos. E para esse caso prefira alimentos enlatados ou secos. Mas se você quiser estocar alimentos “eternamente” (ou quase isso), que tal conferir esta lista?

    • Mel: considerado o único alimento eterno, graças à química mágica fabricada pelas abelhas, que conseguem criar um líquido altamente ácido e inóspito para o crescimento bacteriano.
    • Sal: sendo o cloreto de sódio um mineral retirado da natureza, sua longevidade não é nenhuma surpresa. O sal é usado para conservar outros alimentos, porque remove a umidade. O sal de cozinha não dura para sempre, porque há iodo em sua fórmula, mas pode durar cerca de 5 anos.
    • Açúcar: você pode driblar a data de validade que os varejistas são obrigados a carimbar nas embalagens se o mantiver longe da umidade, em recipiente fechado.
    • Leite em pó: uma vez que o leite in natura é tão perecível, o leite em pó é uma alternativa. Se armazenado em embalagem hermeticamente fechada, longe da umidade, pode durar bastante.
    • Café solúvel: pode ser guardado no freezer por tempo indeterminado. O mesmo não acontece com o café normal, que é sensível à luz e ao oxigênio e a altas temperaturas.
  • Shoyu (molho de soja): dependendo do tipo de aditivos usados pela marca, pode durar anos tempo fechado. Após aberto, o condimento salgado pode ser mantido na geladeira por tempo indeterminado.
  • Arroz branco: pode manter seus nutrientes e sabor por 30 anos, se armazenado à vácuo em temperaturas abaixo de 4ºC. O arroz integral, no entanto, dura apenas 6 meses.
  • Amido de milho: se armazenado em recipiente fechado, longe do calor e da umidade, pode durar muitos e muitos anos.
  • Bebidas destiladas: quanto maior o teor alcoólico de uma bebida, maior a sua longevidade, dependendo dos outros ingredientes presentes. Vodca, rum, whisky, gin, brandy ou tequila podem durar indefinidamente.
  • Vinagre branco: se mantido na garrafa original lacrada, longe da luz e do calor, pode durar anos.
  • Extrato natural de baunilha: como é feito de álcool, pode permanecer fresco e saboroso por anos. Se você conservar a fava no recipiente do açúcar, ganha um açúcar aromatizado exclusivo. Mas, lembre-se: a essência de baunilha artificial não possui a mesma duração.

E como conservar alimentos na natureza, sem geladeira?

Você viu que conservar alimentos em casa é fácil! Mas, e quando saímos para acampar e não podemos contar com uma geladeira? Ser prevenido nessas horas é fundamental, porque não podemos correr o risco de ficar sem comida quando não há supermercado por perto.

Além disso, uma intoxicação por conta de comidas preparadas ou armazenadas de forma inadequada, especialmente quando não se pode contar com assistência médica, pode ter consequências sérias. Se você quer curtir a natureza sem passar perrengue, atenção às dicas a seguir!

Prefira alimentos não perecíveis

A vantagem dos alimentos não perecíveis é que, se armazenados corretamente, mantêm sua qualidade por mais tempo.

Por isso, além de escolher alguns dos produtos que duram “para sempre” já mencionados aqui, prefira alimentos secos, ou seja, com pouca água em sua constituição, como frutas desidratadas e biscoitos, ou em conserva, como latas de atum, milho, ervilha ou mesmo azeitonas.

Se quiser levar arroz, feijão ou leite em pó, o cozinheiro outdoor precisa se lembrar de que o preparo desses alimentos exige água. Portanto, verifique a possibilidade de abastecimento em sua trilha. Caso contrário, você poderá ficar sem água o restante do passeio após a parada para o lanche.

Manuseie com cuidado

Pode parecer óbvio, mas é fundamental estar com as mãos limpas ao manusear alimento, até para garantir que ele possa ser consumido por mais tempo. Os mais prevenidos levam sempre álcool em gel consigo.

Por mais que sua comida seja orgânica, jogar restos de comida e cascas no meio ambiente pode atrair a visita de roedores. Coloque em um saco plástico (preferencialmente vedado) e leve-o com você.

Proteção faz parte de saber como conservar alimentos

Os modelos “ziploc” são ótimos para guardar alimento na mochila. A principal vantagem é seu fechamento, que evita vazamentos.

Os recipientes do tipo Tupperware são ainda mais eficientes. Como também são reutilizáveis e possuem boa vedação, protegem também os alimentos em caso de chuva ou choques mecânicos na mochila.

Essas opções são bem melhores do que as próprias embalagens plásticas dos alimentos disponibilizadas pelas fábricas que, além de não serem reutilizáveis, geram mais lixo e não proveem a segurança para os alimentos dentro da mochila, sendo suscetíveis a choques mecânicos e a vazamentos.

E você? Tem algum truque de como conservar alimentos por mais tempo?

Também costuma buscar alternativas de como conservar alimentos em acampamentos e passeios na natureza? Compartilhe com a gente nas redes sociais! Vamos todos adotar hábitos mais saudáveis, econômicos e amigos do meio ambiente.