Vizinhos barulhentos: veja como lidar e o que você não deve fazer

Por - Atualizado em:

Vizinhos barulhentos só se for em filme de comédia. Na vida real, esse tipo de vizinhança não tem a menor graça. 

Mas antes de iniciar uma guerra com o seu vizinho é importante saber exatamente a origem e o porque do barulho, além de se resguardar com soluções legais e previstas em lei. Acompanhe o post com a gente e saiba mais.

Como lidar com vizinhos barulhentos

Dialogo é o melhor caminho

Antes de tomar qualquer medida, procure conversar com o seu vizinho e falar para ele que o barulho está incomodando.

Seja educado e cuidadoso com as palavras, pode ser que o seu vizinho nem imagina que está incomodando os demais. 

Explique para ele o porque do incomodo e, se possível, procure oferecer alguma alternativa ou solução para o problema. 

Pode ser, por exemplo, que o barulho venha do tipo de trabalho que o seu vizinho executa. Nesse caso, vocês podem entrar em um acordo sobre os horários em que o barulho está liberado.

De onde vem o barulho?

Alguns tipos de sons e ruídos podem ser controlados e, consequentemente, evitados, como é o caso do som do salto alto da vizinha do andar de cima. 

No entanto, alguns tipos de sons são praticamente impossíveis de controlar, como o choro de um bebê no meio da madrugada. Então, antes de ir conversar com o seu vizinho, procure identificar se o barulho pode ou não ser evitado e de que maneira. 

Assim fica mais fácil chegar a um acordo. E, caso constate que o barulho não pode ser evitado, como o choro do bebê, talvez o jeito é buscar um isolamento acústico para sua casa. 

Não reclame a toa

Quantas vezes na semana ou no mês você tem problemas de barulho com o seu vizinho? Essa frequência também é importante observar.

Pode ser que os barulhos aconteçam apenas esporadicamente, como em um dia de festa, por exemplo. Nesse caso, seja gentil e releve, afinal, pode ser que na próxima semana a festa seja na sua casa. 

No entanto, se o barulho se repetir diariamente ou todo final de semana, vale a pena conversar com o vizinho e propor um acordo. 

Infelizmente, caso note resistência, o jeito é buscar formas mais drásticas de resolver o problema. Falaremos sobre elas a seguir.

Fale com o sindico e leia o regulamento interno do condomínio

Se o dialogo falhou e você não conseguiu resolver as coisas com o seu vizinho pacificamente, então, caso more em condomínio, a solução é levar o conflito até o sindico. 

Relate os fatos e, se possível, tenha provas documentais (como áudios e vídeos) que comprovem o barulho e o incômodo. 

Todo condomínio possui um regulamento interno que prevê multas e punições aos moradores que desrespeitam as regras, incluindo a do silêncio.

Esteja a par desse regulamento e faça valer os seus direitos.

Quando o barulho pode virar caso de policia?

E quem mora em casa? Faz o que? As pessoas que moram em bairros residenciais não contam com um regulamento, tampouco com um sindico para intermediar o problema. 

Nesse caso, a solução é chamar a policia. Será mesmo? Primeiro, vale ressaltar uma coisa importante: a tal da lei do silêncio não existe no código civil. Algumas cidades e estados possuem regulamentações próprias sobre o assunto, cabe a você verificar se a sua cidade possui uma lei do tipo.

Pois é! Por essa você não esperava. 

O que existe na verdade é a Lei das Contravenções Penais (Lei 3.688/41). E o que isso significa? Essa lei trata da perturbação do sossego, como você pode ver a seguir:

Art. 42. Perturbar alguém o trabalho ou o sossego alheios:

I – com gritaria ou algazarra;

II – exercendo profissão incômoda ou ruidosa, em desacordo com as prescrições legais;

III – abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos;

IV – provocando ou não procurando impedir barulho produzido por animal de que tem a guarda:

Pena – prisão simples, de quinze dias a três meses, ou multa.

Porém, esse tipo de contravenção é visto, judicialmente, como algo de baixo poder ofensivo, e, por conta disso, dificilmente alguém será preso ou pagará multa.

O máximo que pode acontecer é a policia bater na porta do seu vizinho, orientá-lo sobre o incômodo que está sendo gerado na vizinhança e ir embora. Fica a cargo do vizinho decidir se continua ou não com o barulho.

E é aqui, nesse ponto, que o seu potencial de diálogo e remediador de conflitos deve estar apurado. Isso porque se o vizinho te considerar um chato que vive reclamando, não dá bom dia, nem boa tarde e ainda chama a policia, pode ter certeza de uma coisa: o barulho só vai piorar.

Isso sem contar que chamar a policia pode gerar um clima muito ruim e, convenhamos, ninguém quer viver em pé de guerra, não é mesmo?

O que fazer então?

A dica nesse caso é procurar os órgãos responsáveis na sua cidade para tratar dessa questão (isso caso ela tenha uma lei ou regulamentação sobre os limites de barulho em áreas residenciais).

Mas vá até lá preparado com provas documentais. Faça vídeos, tire fotos, grave áudios e se for necessário baixe no seu celular um aplicativo capaz de medir decibéis. No dia do barulho, faça a medição, tire um print da tela e leve mais essa prova com você.

Chegando ao local abra um processo administrativo. Muito provavelmente o seu vizinho será notificado e multado.

Vizinhos barulhentos: o que você não deve fazer

Agora que você já sabe o que fazer para resolver o problema do barulho, veja as dicas do que não fazer para não piorar as coisas. 

Ser grosseiro e mal educado

Em hipótese alguma seja grosseiro, mal educado e desrespeitoso com o seu vizinho, mesmo que você esteja na razão. 

Isso só vai gerar mais estresse e confusão deixando você ainda mais longe de solucionar o problema.

Ao conversar com o vizinho, mantenha a calma, seja pacifico e tente descobrir o motivo de tanto barulho. Pode ser que exista uma razão importante e necessária por trás de todo o ruído. Cabe a você também um pouco de paciência e compreensão.

Expor a situação em redes sociais

Não caia na besteira de fazer posts em redes sociais com indireta para o seu vizinho. Ele vai descobrir e a tentativa de um dialogo vai ficar ainda mais difícil. 

Por isso, nada de post no Facebook ou mensagem no grupo do condomínio no Whatsapp. 

Fazer o mesmo

Sabe aquela história de devolver na mesma moeda? Isso pode ser um tiro no pé quando o assunto é vizinhos barulhentos.

Primeiro, porque como já dissemos anteriormente, pode ser que o seu vizinho sequer tenha consciência que está causando um incômodo. Nesse caso, quem acaba saindo como desordeiro é você.

E, segundo motivo, os demais vizinhos não tem nada a ver com a história. Quando você revida o barulho, não é só o vizinho que te incomoda que será afetado, mas toda a vizinhança.

Como evitar o estresse com os vizinhos

Confira a seguir algumas dicas para prevenir situações desagradáveis com os seus vizinhos:

Conheça o local antes de se mudar

É muito importante conhecer a vizinhança antes de comprar ou alugar um imóvel. Muita gente se preocupa só em analisar as condições do imóvel e se esquece desse detalhe importante. 

Por isso, faça uma boa análise do local. Veja o perfil das pessoas que moram ao lado, na frente e atrás da casa. E, se achar necessário, procure outro lugar para morar. 

Apresente-se na vizinhança

Assim que se mudar para a casa nova apresente-se para os vizinhos. Além de educado, isso garante que você conheça um pouco mais as pessoas que moram ao seu redor e também faz com que as pessoas te conheçam. Dessa forma, a convivência fica mais harmoniosa e a resolução de possíveis conflitos se torna mais fácil.

Seja gentil e educado

Seja um bom vizinho. Cumprimente as pessoas, ofereça ajuda, puxe conversa. Tudo isso fortalece os laços de amizade e torna as relações mais empáticas. 

Dessa forma, dificilmente o seu vizinho vai querer fazer algo que te prejudique.

Faça isolamento acústico 

Por fim, para viver em paz e no sossego, você pode optar por fazer alterações no seu imóvel para melhorar o isolamento acústico, mesmo que tudo esteja em perfeita harmonia com a vizinhança. 

Para isso, troque as portas comuns por portas de madeira maciça que são mais resistentes aos ruídos. Troque os vidros das janelas por vidros acústicos e se for necessário, utilize placas de drywall para um isolamento completo.

Afinal, nunca se sabe quem pode ir morar do seu lado, não é mesmo?