Cerca viva: saiba como utilizar este recurso nas áreas externas

Conheça as principais espécies, tipos, quanto custa e como cuidar de cercas vivas

Por -

Grades, muros, paredes e elementos vazados nem sempre são a melhor solução para quem precisa fazer o fechamento de um espaço. Ao tratar-se de um ambiente externo, o ar natural é quase indispensável para o local, e por isso, a cerca viva cumpre com sucesso essa proposta.

As principais vantagens da cerca viva

A cerca viva é bonita e funcional, com isso a área do paisagismo ajuda a compreender melhor qual é a mais adequada para seu tipo de necessidade. Veja agora as principais vantagens da cerca viva:

  • Crescimento rápido;
  • Manutenção simples;
  • Segurança e privacidade;
  • Variedade de opções que se encaixam em qualquer projeto.

E para deixar essa tarefa mais simples, montamos um guia completo com informações importantes sobre as cercas vivas:

Onde utilizar a cerca viva?

Cerca viva

1. Para delimitar uma determinada área

É a solução ideal para não fechar totalmente a visão do espaço. Neste caso procure arbustos pequenos ou mais espaçados para criar essa integração na medida certa!

2. No paisagismo

A cerca viva é um ótimo recurso para criar caminhos, deixando o paisagismo tomar conta do seu espaço. Afinal, não há nada mais bonito do que complementar a paginação do piso com um toque da natureza.

3. Para esconder elementos desnecessários

Artifícios como esconder a condensadora do ar condicionado ou motores da piscina podem ser uma ótima solução para não estragar o visual do quintal.

4. Mais verde, por favor!

Um dos recursos mais utilizados é o de levar privacidade para a área de lazer, principalmente para quem possui uma construção vizinha. A finalidade aqui é evitar os olhares curiosos, que acabam nos privando em nossa própria casa!

5. Destaque a arquitetura de forma criativa

A fachada é um dos pontos mais importantes na arquitetura, e pensando nisso, mesclar elementos brutos com a simplicidade da natureza é uma opção perfeita para equilibrar o visual. E olhe que os jardins verticais entram com tudo nessa tendência!

Como escolher a cerca viva?

Como é uma área específica na arquitetura o ideal é consultar um profissional para orientar melhor na sua escolha. Existem espécies para cada tipo de proposta, algumas crescem mais rápido, outras podem prejudicar seu piso e a parede, por exemplo.
Se você deseja inserir esse elemento em algum ambiente, pesquise sobre cada espécie, levando em conta as características, tamanhos e tempo de crescimento.

Espécies e tipos de cerva viva

Existem diversos tipos de cercas vivas, porém, o principal objetivo é selecionar a que melhor atende a sua necessidade sem abandonar as características do local, solo e região.

1. Amor agarradinho

Amor agarradinho

Para quem deseja um toque de cor, como flores brancas ou rosas, pode apostar nessa espécie de cerva viva. Por conter flores, consequentemente, a primavera é a melhor época para deixar seu espaço colorido! Ela se enlaça em treliças ou arames de cercas, formando uma divisória natural no espaço.

2. Cerva viva primavera

Cerca viva primavera

Essa espécie é confundida com a trepadeira devido sua forma volumosa e a presença de galhos longos. Também possui flores coloridas, que podem enfeitar seu quintal!

3. Buxinho

Buxinho

Essa é uma espécie tradicional para a cerca viva e possui como característica principal as folhas verdes que podem formar esculturas criativas. A principal vantagem dela é a sua fácil manutenção e a flexibilidade de se encaixar em qualquer tipo de espaço.

4. Tumbergia arbustiva

Tumbergia arbustiva

Com folhas ovais, pequenas e na cor verde escura, essa espécie também conta com flores azuis com o miolo amarelo. Por ter essa floração perfumada, atrai beija-flores e borboletas no entorno.

5. Camélia

Camélia

Lindas e floridas, a camélia pode ser plantada tanto em árvores como arbustos. A sua presença das flores encantam mais ainda para quem deseja um cantinho bem colorido!

6. Cerva viva de murta

Cerca viva de murta

Oferece uma proteção devido a sua densa ramagem folhada na cor verde escura. O caule é lenhoso e por isso possui diversas ramificações que deixam o espaço bem privativo.

7. Laurotino

Laurotino

Possui características marcantes como caule ramificado e ereto, copa arredondada, folhas brilhantes, flores indo do rosa ao branco e super perfumadas. É arbusto versátil que se encaixa desde uma cerca viva formal ou informal, que também pode ser plantado isolado ou em grupos.

8. Sansão do campo

Sansão do campo

Ideal para quem deseja uma cerca viva alta e com crescimento acelerado. Pode ser bem podado, caso a intenção não seja tirar completamente a visão da área.

9. Bambu

Bambu

O bambu é a solução ideal para quem deseja uma cerva viva alta, densa e com rápido crescimento. Suas folhagens mais longas deixam o ambiente aconchegante e relaxante, por isso são bem utilizados em bosques, no jardim japonês e parques.

60 projetos que utilizam a cerca viva no paisagismo

Para conhecer como essas espécies funcionam na prática, confira 60 projetos que utilizam a cerca viva em diversas propostas, sem tirar o brilho do espaço:

Imagem 1 – De alturas diferentes para decorar o corredor.

Imagem 2 – Na lateral do terreno para delimitar a área da edificação.

Imagem 3 – Composição de espécies diferentes para destacar a circulação externa.

Imagem 4 – O jardim vertical pode decorar qualquer parede residencial.

Imagem 5 – E nas fachadas conferem mais beleza.

Imagem 6 – Dê vida nos muros residenciais!

Imagem 7 – Deixe o muro mais bonito em contato direto com a natureza.

Imagem 8 – As folhas e as árvores criam o cenário tropical e cheio de vida para o espaço.

Imagem 9 – Valorize ainda mais a fachada da residência.

Imagem 10 – Crie caminhos com as cercas vivas.

Imagem 11 – Ideal para manter a privacidade dos moradores.

Imagem 12 – Solução para esconder alguns detalhes construtivos.

Imagem 13 – Um toque de verde para mesclar o tom amadeirado e o azul da piscina.

Imagem 14 – As arvores ultrapassando o muro deixam o cantinho mais privativo.

Imagem 15 – Faça uma composição de diversas plantas para ter uma cerca florida e divertida!

Imagem 16 – Muros nem sempre são bons para espaços pequenos, mas revestindo com plantas, o visual fica outro deixando-o muito mais aconchegante.

Imagem 17 – Na parede mais extensa, plantas mais altas. Enquanto na frontal, um bloqueio parcial com plantas baixas.

Imagem 18 – O tamanho reduzido é ideal para não bloquear a visão da paisagem.

Imagem 19 – A área de lazer exige um tratamento paisagístico mais elaborado.

Imagem 20 – Os arbustos mais baixos são ideais para locais próximos a janelas e varandas.

Imagem 21 – Separando a área de churrasqueira do restante do lazer.

Área de lazer com churrasqueira

Imagem 22 – Um pouco de flores e um pouco de verde para manter o equilíbrio no espaço.

Um pouco de verde para o espaço

Imagem 23 – As linhas retas predominam a arquitetura e o paisagismo.

As linhas retas predominam a arquitetura

Imagem 24 – Em volta da piscina para delimitar a área molhada e gramado.

Ao redor da piscina para delimitar a área

Imagem 25 – Contornando a edificação.

Contornando a edificação

Imagem 26 – Os arbustos dão mais vivacidade para o paisagismo.

Os arbustos trazem mais vivacidade ao paisagismo

Imagem 27 – Que tal deixar o muro bem marcante com o um degradê de espécies?

Degradê de espécies

Imagem 28 – Com inspiração dos jardins franceses.

Com inspiração dos jardins franceses

Imagem 29 – Varanda residencial com cerva viva.

Varanda residencial com cerca viva

Imagem 30 – O interessante da cerca viva é inserir cor através das flores.

Insira cor através das flores

Imagem 31 – Dê um toque de verde na fachada de sua casa.

Um toque de verde para a fachada da casa

Imagem 32 – A área social deve ser bem sinalizada com ajuda do paisagismo.

Área social bem sinalizada com ajuda do paisagismo

Imagem 33 – As árvores criam essas aberturas de uma forma natural.

Aberturas de forma natural com árvores

Imagem 34 – Com o buxinho é possível criar formatos diferentes das folhagens.

Formatos diferentes para as folhagens com o buxinho

Imagem 35 – Proporcione mais privacidade na área da piscina.

Mais privacidade para a área da piscina

Imagem 36 – Barreira natural sem tirar a visão completa.

Barreira natural sem tirar a visão completa

Imagem 37 – Valorize ainda mais o espaço pequeno!

Valorize ainda mais o espaço pequeno

Imagem 38 – Cerca viva para piscina.

Cerca viva para piscina

Imagem 39 – Com a cerca viva dividindo as duas áreas, a circulação acontece de forma natural.

A circulação acontece de forma natural com a divisão de duas áreas

Imagem 40 – Espécies altas para ter privacidade e segurança na casa.

Espécies altas para ter segurança e privacidade

Imagem 41 – Reforce a circulação do espaço.

Reforce a circulação do espaço

Imagem 42 – O paisagismo tomando conta do espaço urbano.

Paisagismo tomando conta do espaço urbano

Imagem 43 – Podem ser instaladas até mesmo em piscinas cobertas.

Cerca viva em piscina coberta

Imagem 44 – Crie pequenos corredores verdes.

Crie pequenos corredores verdes

Imagem 45 – Deixe o local mais intimista com a cerca viva!

Deixe o local mais intimista com a cerca viva

Imagem 46 – Terraço com cerca viva.

Terraço com cerca viva

Imagem 47 – Cerca viva de bambu.

Cerca viva de bambu

Imagem 48 – Cerca viva com flores.

Cerca viva com flores

Imagem 49 – Faça uma cerca viva com vasos e plantas.

Cerca viva com vasos e plantas

Imagem 50 – A parede verde cria o fundo perfeito para este cenário.

Fundo perfeito com a parede verde

Imagem 51 – Crie desenhos diferentes com as plantas.

Desenhos diferentes com as plantas

Imagem 52 – Como a piscina fica em um nível mais alto, a solução foi cobrir o pequeno muro que se forma entre esses dois espaçamentos.

Cerca viva na piscina

Imagem 53 – Privacidade na medida certa!

Privacidade na medida certa

Imagem 54 – As folhas mais altas e agrupadas deixam o espaço mais clean e iluminado.

Folhas mais altas e agrupadas

Imagem 55 – Um bom paisagismo faz todo o diferencial no espaço.

Um bom paisagismo como diferencial

Imagem 56 – Mix de podas diferentes.

Mix de podas diferentes

Imagem 57 – Cerca viva com função decorativa.

Cerca viva com função decorativa

Imagem 58 – O muro fechado é ideal para ter maior privacidade na piscina.

Muro fechado para ter privacidade na piscina

Imagem 59 – Em ambientes internos, a cerca viva também ganha funcionalidade.

Funcionalidade em ambientes internos

Imagem 60 – Faça a cerca viva com ajuda de uma treliça.

Cerca viva com treliça

Qual o preço da cerca viva?

A cerca viva é vendida por mudas que variam de acordo com as espécies citadas no início deste artigo. Como exemplo, podemos citar a Sansão do Campo com custo de R$5,00, passando pela Camélia com R$70,00 e chegando no máximo com o Bambu no valor de R$400,00.

O acréscimo de materiais para a instalação, mão de obra e manutenção alteram de acordo com o tamanho da área de plantação. Se você contratar um paisagista esse valor aumenta, mas com a segurança de um resultado bonito e funcional para sua área externa.

Como cuidar da cerca viva?

Cada espécie possui uma manutenção específica, no qual inclui a poda e a reposição de terra quando for preciso.

Já no plantio, coloque as plantas em ziguezague, pois buracos se criam se elas ficarem completamente alinhadas. Já a poda pode ser feita uma vez por mês (no inverno com intervalos mais longos, já que o desenvolvimento é mais lento). No geral todas precisam de um cuidado regular para manter sua forma, quantidade de folhas e tamanho. Por isso retire os galhos e folhas sem vida periodicamente!

Se atente com o excesso de água, que pode desidratar a planta. Depois de plantadas, molhe uma vez por dia e após esse período regue três vezes por semana.
As que possuem frutos e flores não pode ser podadas antes de seu crescimento (primavera). Por isso fique atento a esse período para não haver problemas futuros!