Flores: 101 tipos de flores e espécies para colorir o seu jardim

Conheça espécies de flores que podem ser facilmente cultivadas em casa, além de outras informações

Por -

As flores são a melhor maneira de deixar a casa transbordando vida e alegria. Além de bonitas, elas são cheirosas e mantêm por perto a companhia agradável de pássaros e borboletas.

Existem diversos tipos de flores e espécies que podem ser cultivadas tanto em vasos, quanto em canteiros. É verdade que cada uma delas exige um cuidado especial. Mas nada que algumas dicas não sejam suficientes para que você possa cultivar a sua flor preferida.

Por isso mesmo te convidamos a nos acompanhar nesse post florido e perfumado. Selecionamos 101 espécies de flores que podem ser cultivadas facilmente em casa, bem como suas principais características e cuidados. O difícil vai ser você conseguir escolher uma só. Confira:

101 tipos de flores e espécies para colorir o seu jardim

Imagem 1 – A perfumada Alfazema.


A Alfazema, de nome cientifico Lavandula Angustifolia, é uma das espécies de flores mais perfumadas que existe. Pode ser cultivada em vasos ou em canteiros, formando maciços de cor lilás.

A alfazema aprecia solo árido, poucas regas e muita luz, contudo evite deixá-la exposta ao sol intenso durante horas. A adubação da alfazema deve ser feita com farinha de osso ou adubo NPK 4-14-8, usando metade da dose recomendada pelo fabricante.

Cuidado na hora de podar a alfazema. A planta deve ser cortada em sua parte verde, se o caule lenhoso for podado a planta não se desenvolve mais.

Imagem 2 – Bela e inusitada: com vocês a Couve Ornamental.


A couve ornamental possui folhas bem diferentes das suas parentes mais próximas, como a couve flor e o brócolis. Os diferentes tons que o mesmo pé apresenta a torna uma excelente opção para bordaduras de jardim ou mesmo para serem cultivadas em vaso.

A couve ornamental prefere o sol, mas também se adapta a meia sombra. Antes de fazer a rega, verifique a umidade do solo. Esse tipo de flor gosta de períodos de seca, por isso não exagere na água.

Imagem 3 – O exótico e colorido Lirio.


O lírio ou Lililum Hybrid possui várias cores diferentes, entre elas o amarelo, o rosa, o vermelho e o branco. A flor é muito apreciada para jardins, mas também pode ser vista dentro de casa, especialmente em forma de buquês. E por falar em buquê, o lírio está entre as flores preferidas para os buquês de noivas.

Para se desenvolver bem, o Lírio precisa de sol e um solo rico em matéria orgânica.

Imagem 4 – Lilás e delicada: é assim que a flor da Nêveda se apresenta.

Lilás e delicada: é assim que a flor da Nêveda se apresenta

A Nêveda – Nepeta Cataria, também conhecida como Erva Gateira ou Erva dos Gatos, é uma planta muito popular pelo efeito excitante que causa nos felinos. O cultivo da Nêveda é simples, basta ter um solo bem adubado, luz e regas periódicas.

Imagem 5 – Sete léguas: uma singela flor trepadeira

Sete léguas: uma singela flor trepadeira
A Sete léguas – Podranea Ricasoliana – é uma flor trepadeira lenhosa de coloração rosa muito utilizada para adornar muros e pergolados. A planta pode atingir até 10 metros de altura. Cultive a Sete léguas sob sol pleno, com regas regulares e em solo fértil e bem adubado. A planta prefere o clima ameno e pode sofrer com frio e geadas.

Imagem 6 – O azul encantador da Delfínio

O azul encantador da Delfínio
A Delfinio ou Abelha azul – Delphinium Elatum – é uma espécie de flor extremamente ornamental. As hastes alongadas da planta revelam flores de azul intenso muito apreciadas por borboletas e outros insetos.

A Delfinio aprecia clima ameno, regas frequentes – sem encharcar – e luz natural. No entanto, evite expor a planta ao sol nas horas mais quentes do dia. Depois de plantada, a Delfínio não tolera ser transplantada. Cultive-a em vasos ou canteiros.

Imagem 7 – A beleza lilás do Agapanto para os canteiros

A beleza lilás do Agapanto para os canteiros
A Agapanto – Agapanthus Africanus – é uma flor muito resistente e por essa razão é ótima para ser usada como flor de corte. No paisagismo, a agapanto ornamenta canteiros e emoldura a parte baixa de muros e cercas. Cultive a agapanto sob sol pleno, em solo adubado e com regas regulares.

Imagem 8 – Entre os tons de azul e lilás, a felpuda Agerato mostra sua beleza.

Entre os tons de azul e lilás, a felpuda Agerato mostra sua beleza
A Agerato – Ageratum Houstonianum – é uma planta de pequeno porte ideal para ornamentar bordaduras, canteiros e jardineiras. Os cuidados no cultivo do agerato incluem regas frequentes e um solo drenado e bem adubado. Prefira deixá-las a meia sombra.

Imagem 9 – A branca e perfumada Álisso

A branca e perfumada Álisso
Apesar de pequenina, a Álisso – Lobularia Maritima – se destaca pela sua forma delicada e pelo seu cheiro adocicado, parecido com mel. Use a Álisso em jardineiras, vasos ou para criar pequenos e delicados canteiros. O cultivo da Alisso inclui sol pleno e regas regulares.

Imagem 10 – Dedique um cantinho para a alegre e popular Alamanda.


A Alamanda – Allamanda catártica – é uma espécie de trepadeira muito utilizada no Brasil. As flores amarelo ouro criam belas e viçosas forrações para muros, pergolados e cercas. Apesar de se adaptar bem a todo tipo de clima, a Alamanda prefere viver sob o sol e o calor. Complete os cuidados com regas regulares e um solo bem drenado e fértil.

Imagem 11 – Todo o tropicalismo da Alpínia.


A Alpínia – Alpinia Purpurata – é uma planta de porte médio muito utilizada para propostas de paisagismo tropical. As flores vermelhas e rústicas também são muito apreciadas para arranjos florais. Cultive a Alpínia sob sol pleno ou meia sombra. Regue-a frequentemente e mantenha o solo adubado.

Imagem 12 – Alegre seu jardim com as flores do Amor Perfeito


A Amor Perfeito dos Jardins, a Viola Tricolor, é uma versão em miniatura da popular Amor Perfeito. Essa espécie apresenta uma variedade de cores que vão do amarelo ao roxo, passando por gradações do azul, rosa, branco e marrom. A Amor Perfeito aprecia o sol pleno e deve ser cultivada em solo rico em matéria orgânica com regas frequentes.

Imagem 13 – Dê um toque de romantismo ao seu jardim com a Asessippi Lilás.

Dê um toque de romantismo ao seu jardim com a Asessippi Lilás
A Asessippi Lilás, ou simplesmente Lilás, é um arbusto florido e muito perfumado. Considerada como uma arvoreta, a Lilás pode atingir até sete metros de altura. No paisagismo, a planta pode ser usada isolada ou em grupos formando maciços e cercas vivas.

A Asessippi Lilás gosta de viver sob sol pleno, mas para florescer adequadamente ela precisa passar pelo frio do inverno. Por isso, ela é mais indicada para ser cultivada em regiões de clima temperado. Complete os cuidados adubando o solo e regando a planta com frequência.

Imagem 14 – Um jardim colorido e iluminado com a Astilbe.

Um jardim colorido e iluminado com a Astilbe
As flores da Astilbe iluminam e colorem os mais diferentes projetos de paisagismo e jardinagem. Contudo, a planta deve ser cultivada em locais frescos e longe da luz solar direta.

Imagem 15 – Astromélia ou mini lírios

Astromélia ou mini lírios

As Astromélias possuem flores tão semelhantes ao lírio que passaram a ser conhecidas como mini lírios. A planta forma lindos canteiros e bordaduras, mas seu uso é mais comum como flor de corte.

Para cultivar a Astromélia tenha um local ensolarado, solo fértil, bem drenado e enriquecido com matéria orgânica. Regue-a regularmente para que a floração seja abundante.

Imagem 16 – Exótica e exuberante, a Ave do Paraíso é assim.


Ave do Paraíso, Estrelitzia ou Flor da Rainha. Pelos nomes já dá para ter uma ideia da exuberância e refinamento dessa planta. Com flores que mesclam azul e laranja, a Ave do Paraíso é uma ótima opção para projetos de estilo tropical.

O cultivo da planta é simples e não exige manutenção. Plante-a em locais ensolarados, com solo rico em matéria orgânica e regas frequentes.

Imagem 17 – Olha as flores viçosas das Azaleias aí!


A Azaleia – Rhododendron Simsii – é um arbusto lenhoso que ama o frio. As flores da azaleia vão desde o branco até o vermelho, passando por tons de rosa. Alguns tipos apresentam flores mescladas. As azaléias são muito utilizadas sozinhas ou em conjunto nos projetos paisagísticos. Cercas vivas são outro modo de uso da planta. As azaléias também são muito usadas na técnica milenar do Bonsai.

Para que elas se desenvolvam plenas e floridas, cultive-as sob sol pleno em uma mistura de terra vegetal e terra de jardim. As regas devem ser regulares e as podas devem ser feitas somente após a floração.

Imagem 18 – De folhas aveludas e aparência rústica, a Azulzinha não passa despercebida.

De folhas aveludas e aparência rústica, a Azulzinha não passa despercebida
A Azulzinha – Evolvulus Glomeratus – é uma planta de pequeno porte muito simples de ser cultivada. Requer apenas uma luminosidade adequada – que pode ser sob sol pleno ou a meia sombra – regas regulares e um solo bem drenado e fértil.

Imagem 19 – Conheça a terapêutica Babosa.

A Babosa ou Aloe vera é uma planta suculenta, de aparência rústica e com inúmeras propriedades terapêuticas e medicinais. No paisagismo, a Babosa também tem seu espaço garantido, especialmente nos projetos de estilo árido ou rochosos. Ela pode ser combinada com cactos e outras espécies de suculentas.

A Babosa é uma planta muito resistente, sendo capaz de sobreviver aos mais diferentes climas. Mas para cultivá-la prefira deixá-la em um local de sol abundante e não exagere nas regas. Um solo bem drenado e fértil também faz bem para a planta.

Imagem 20 – Barba de Serpente: para as varandas ou para os jardins.

Barba de Serpente: para as varandas ou para os jardins
A Barba de Serpente – Liriope Muscari – é uma folhagem muito apreciada para o cultivo em vasos e jardineiras, mas também pode ser usada em jardins e canteiros. A Barba de Serpente não exige grandes manutenções, pede apenas para ser cultivada sob sol pleno, em solo leve, fértil e bem drenado. As regas devem ser periódicas.

Imagem 21 – Delicadas e rústicas Begônias.

De aparência delicada e ao mesmo tempo rústica, as Begônias – Begonia Cinnabarina – são ótimas para serem cultivadas em jardim, vasos e jardineiras. As flores podem ser brancas, vermelhas ou rosas, dependendo do tipo de solo e da quantidade de luz solar absorvida pela planta. Cultive as begônias a sol pleno ou meia sombra, em solo fértil e com regas regulares.

Imagem 22 – Versátil, a Bela Emilia é uma das flores mais populares no paisagismo.

Versátil, a Bela Emilia é uma das flores mais populares no paisagismo
A Bela Emilia – Plumbago Auriculata – encanta pelas suas pequenas e delicadas flores em formato de buquê. Brancas ou azuladas, as flores da Bela Emilia podem compor jardins, cercas vivas e ser usada até como trepadeira. O cultivo inclui sol pleno ou meia sombra e regas regulares. Não é muito exigente com adubação.

Imagem 23 – Aposte nas coloridas Boca de Leão.

Aposte nas coloridas Boca de Leão
A Boca de Leão – Antirrhinum Majus – é uma planta que se apresenta em diferentes colorações. No paisagismo, a Boca de Leão é usada em conjuntos com o objetivo de formar maciços floridos. Cultive a Boca de Leão a sol pleno ou meia sombra, em solo composto de terra de jardim e terra vegetal com regas regulares.

Imagem 24 – Símbolo do Rio Grande do Sul: Brinco de Princesa.

Símbolo do Rio Grande do Sul: Brinco de Princesa
A Brinco de Princesa – Fuchsia Hybrida – é muito apreciada pelos beija-flores. Essa flor de pétalas que variam entre o vermelho, rosa, azul, violeta e branco prefere climas mais frios e amenos. Pode ser cultivada em vasos ou ao ar livre. Um solo rico em matéria orgânica ajuda a planta a se desenvolver e florescer.

Imagem 25 – Calêndula: delicada e ótima aliada da medicina caseira.

Calêndula: delicada e ótima aliada da medicina caseira
As flores amarelas e laranjas da Calêndula – Calendula Officinalis – são apreciadas no paisagismo, culinária e medicina caseira. Na jardinagem, a Calêndula compõe belos maciços e bordaduras, além de ser usada em vasos e jardineiras. Cultive a planta sob sol pleno, em solo composto e com regas regulares.

Imagem 26 – Atrai borboletas e beija flores para o jardim com a flor Camarão

Atrai borboletas e beija flores para o jardim com a flor Camarão
A Camarão Vermelho – Justicia Brandegeeana – é uma das melhores opções quando a ideia é atrair para o jardim pássaros e borboletas. A flor ramificada se apresenta em um degrade que vai do vermelho ao amarelo. No paisagismo é muito utilizada para a formação de cercas vivas e bordaduras. O cultivo da Camarão deve ser feito a meia sombra ou luz difusa com solo fértil, profundo e bem drenado. As regas e a adubação devem ser regulares.

Imagem 27 – Agora é a vez da Camarão Amarelo.

Agora é a vez da Camarão Amarelo
A Camarão Amarelo – Pachystachys Lutea – possui características muito semelhantes a Camarão Vermelha. Contudo, ela é ainda melhor para ser cultivada em vasos. O cultivo da Camarão Amarelo deve ser feito a meia sombra ou luz difusa com solo fértil, profundo e bem drenado. Mantenha o substrato sempre úmido.

Imagem 28 – A graça e o charme das Camélias.


As Camélias – Camellia Japonica – possuem flores de alto valor estético. Entretanto, não podem ser tocadas, pois suas pétalas delicadas criam manchas escuras ao contato. As Camélias não toleram calor, portanto, devem ser preferencialmente cultivadas a meia sombra. Outros cuidados incluem regas e adubação regulares.

Imagem 29 – Rústica, decorativa e medicinal: essa é a Cana de Macaco

Rústica, decorativa e medicinal: essa é a Cana de Macaco
Cana de Macaco ou Cana do Brejo – Costus Spicatus – é uma planta muito utilizada para tratamentos de infecção urinária e outros tipos de desordens dos rins. Além das propriedades medicinais, a Cana de Macaco também possui valor paisagístico, graças a sua haste vermelha e alongada.

Imagem 30 – De Gilbratar para o mundo: a delicada Candytuft.


A Candytuft – Iberis Gibraltarica – é a flor símbolo de Gilbratar, território britânico, localizado no extremo sul da Península Ibérica. Essa flor delicada se desenvolve muito bem em solos rochosos.

Imagem 31 – Cardo Marítimo: diferente e difícil de ser encontrada.

Cardo Marítimo: diferente e difícil de ser encontrada
A Cardo Marítimo – Eryngium Maritimum – é uma planta de origem portuguesa, de aparência rústica e difícil de ser encontrada no Brasil. A Cardo Marítimo aprecia o clima e o habitat litorâneo.

Imagem 32 – Para plantar no vaso, escolha a Ciclame.


A Ciclame – Cyclamen Persicum – possui flores delicadas em tonalidades que variam entre o branco, salmão, rosa e vermelho. A flor é muito comercializada em vasos para o cultivo interno. Cultive a Ciclame em locais protegidos das temperaturas extremas, com regas regulares. Após a floração a parte superior da planta morre, mas o bulbo continua vivo e pode rebrotar na primavera.

Imagem 33 – A cinzenta e original Cinerária

A cinzenta e original Cinerária
A Cinerária – Senecio Cruentus – é a planta ideal para jardins modernos e contemporâneos. Suas folhas acinzentadas, quase pratas, criam um visual único para canteiros e dobraduras. As flores da Cinerária são coloridas. Sol pleno, solo drenado e bem adubado e regas frequentes fazem a alegria dessa planta.

Imagem 34 – Clerodendro – Trepadeira de jardins românticos


A Clerodendro – Clerodendron Splendens – possui flores vermelhas muito apreciadas pelos beija-flores. O cultivo deve ser feito sob sol pleno, com solo adubado e regas regulares.

Imagem 35 – Clethra Alnifolia: flor típica dos jardins da América do Norte.


A Clethra Alnifolia é um arbusto de folhas verde escuro e flores brancas. A planta é muito utilizada em jardins naturais.

Imagem 36 – A brasileirinha Clúsia.


A Clúsia – Clusia Fluminensis – é uma planta típica do litoral paulista e carioca. A flor branca e delicada tem grande apelo paisagístico, podendo medir até seis metros de altura quando não é podada. Aprecia viver sob sol pleno com regas periódicas.

Imagem 37 – Colorida e cheia de vida: renda-se aos encantos da Coleus

Colorida e cheia de vida: renda-se aos encantos da Coleus
A Coleus – Solenostemon Scutellaroides – é uma espécie de folhagem de tons que variam entre o amarelo, vermelho, marrom e roxo. Essa é uma ótima opção para forrações, canteiros e bordaduras. No vaso, a Coleus também se desenvolve bem. Para garantir a beleza da planta, cultive-a sob sol pleno ou meia sombra, regue frequentemente e adube a cada 15 dias.

Imagem 38 – De flores pequenas e discretas, a Congeia possui um charme inigualável

De flores pequenas e discretas, a Congeia possui um charme inigualável
A Congeia – Congea tomentosa – é uma espécie de planta trepadeira muito conhecida pela exuberância de sua floração, apesar de suas flores serem bem miúdas. Quando a Congeia floresce mal se pode ver as folhagens de tão abundante que é a floração. Cultive-a sob sol pleno e com regas frequentes.

Imagem 39 – Coração Sangrento: de estranho, só o nome.

Coração Sangrento: de estranho, só o nome
A Coração Sangrento – Clerodendrum Splendens – é um tipo de arbusto, mas seu uso em paisagismo geralmente é feito como trepadeira. O cultivo dessa espécie de flor envolve meia sombra, solo fértil e bem drenado, regas frequentes e adubação anual.

Imagem 40 – Coreópsis: mais conhecida como margaridinha amarela.

Coreópsis: mais conhecida como margaridinha amarela.
A Coreópsis – Coreopsis Lanceolata – é um tipo de margarida muito apreciada e utilizada na jardinagem brasileira. De fácil cultivo, a Coreópsis é muito resistente e consegue sobreviver em solos pobres e a períodos de estiagem. A flor dá um toque campestre e rústico para os projetos em que é utilizada. Cultive-a sob sol pleno e solo fértil para garantir uma boa floração.

Imagem 41 – Cravina: a miniatura do cravo.

Cravina: a miniatura do cravo
A Cravina – Dianthus Chinensis – apresenta folhas de coloração branca, rosa e vermelha com mesclas dessas cores em alguns exemplares. A cravina compõe lindos canteiros e bordaduras, conferindo um clima campestre e rústico ao jardim. Cultive-a sob sol pleno em solos férteis e com regas regulares.

Imagem 42 – A flor do Dia dos Mortos: o Cravo

A flor do Dia dos Mortos: o Cravo
No México, a flor do Cravo ou Tagetes não pode faltar durante as comemorações do Dia dos Mortos. Apesar da referência funesta, a flor é super alto astral e imprime alegria onde for plantada. O cravo deve ser cultivado a sol pleno com regas regulares.

Imagem 43 – Dálias: sempre presentes nos jardins das vovós

Dálias: sempre presentes nos jardins das vovós
As Dálias – Dahlia – já foram muito populares há anos atrás e estavam sempre presentes nos jardins. Contudo, acabou perdeu a popularidade até que voltou repaginada graças a novos cruzamentos. Cultive a Dália sob sol pleno, mas protegida do vento, com regas regulares e adubação periódica.

Imagem 44 – Bonita e tóxica: cuidado com a dedaleira

Bonita e tóxica: cuidado com a dedaleira
A Dedaleira – Digitalis Purpurea – é uma flor alongada, semelhante a um dedal, daí o nome. Contudo, a planta é tóxica e deve ser mantida em local afastado de crianças e animais domésticos. Para cultivá-la, basta preparar um local com sol abundante e fornecer rega e adubação regular.

Imagem 45 – Bonita o ano inteiro, vale a pena dar uma chance para a Falsa Érica

Bonita o ano inteiro, vale a pena dar uma chance para a Falsa Érica
A Falsa Érica – Cuphea Gracilis – é uma planta muito apreciada por florescer o ano inteiro. De flores roxas e delicadas, a Falsa Erica exige pouca manutenção, desde que seja cultivada a sol pleno e receba regas regulares.

Imagem 46 – Falso Iris: puro elegância ornamental para o jardim


O tom azulado da Falso Iris – Neomarica Caerulea – combinado ao formato exótico das folhas confere ao Falso Iris o status de uma das mais apreciadas plantas para ornamentação de jardins. O cuidado com a planta também é simples, basta cultivá-la a sol pleno, em solo fértil e oferecer regas regulares.

Imagem 47 – Áster: charme e delicadeza em miniatura.


A Áster – Symphyotrichum Tradescantii – é uma flor branca muito delicada e que se assemelha a famosa mosquitinho. Apesar de ser utilizada frequentemente como flor de corte, a Áster também pode ser usada no paisagismo em bordaduras ou em vasos e jardineiros. O cultivo é feito a sol pleno, com regas regulares e solo fértil.

Imagem 48 – Comestível e ornamental: lá vem ela, a famosa Capuchinha ou Flor de Chagas.


A Flor de Chagas – Tropaeolum Majus – talvez seja mais conhecida pelo seu uso culinário do que pelo seu aspecto paisagístico. Mas ela também é muito ornamental. O cultivo deve ser feito a sol pleno com regas periódicas.

Imagem 49 – Traga a Flor de Cone e seu estilo campestre para o jardim.

Traga a Flor de Cone e seu estilo campestre para o jardim
A Flor de Cone – Echinacea Purpurea – é muito conhecida pelo seu efeito campestre e rústico. Suas flores se assemelham a margaridas, porém em tons de rosa, violeta e branco. A Flor de Cone deve ser cultivada a sol pleno, com regas regulares, mas sem excessos.

Imagem 50 – Lenhosa e rústica, a Érica Japonesa traz um grande destaque para o jardim.

Lenhosa e rústica, a Érica Japonesa traz um grande destaque para o jardim
A Flor Oriental Érica – Leptospermum Scoparium – é um tipo de arbusto lenhoso com folhas e flores de tamanho pequeno. A planta deve ser cultivada a sol pleno, mas não tolera altas temperaturas.

Imagem 51 – Amante de climas mais frios, a Flox traz um lindo contraste para o jardim.

Amante de climas mais frios, a Flox traz um lindo contraste para o jardim
A Flox – Phlox Drummondii – é uma planta de pequeno porte natural do estado do Texas, EUA. Suas flores de coloração entre o azul, roxo e rosa são muito ornamentais para bordaduras, canteiros e vasos. Cultive-as sob o sol, mas em temperaturas amenas. A rega também é importante, mas evite encharcar o solo.

Imagem 52 – A numerosa família das Gailárdias.


A Gailárdia é uma flor da mesma família das margaridas e girassóis. A planta possui 24 espécies diferentes que resultam em tipos mais rasteiros, eretos, pequenas e grandes. Use-a para a formação de bordaduras e canteiros. O cultivo da Gailárdia deve ser sob sol pleno, com solo bem adubado e regas regulares.

Imagem 53 – A doce e perfumada Gardênia

A doce e perfumada Gardênia
A Gardênia – Gardenia Jasminoides – é uma planta arbustiva, semi lenhosa e que pode atingir até dois metros de altura. Suas folhas brancas são muito perfumosas e ornamentais. Para manter-se sempre bonita e saudável, cultive a gardênia sob sol pleno, em solo fértil, levemente acido, e com regas frequentes.

Imagem 54 – A azulada e tropical Gengibre Azul

A azulada e tropical Gengibre Azul
A Gengibre Azul – Dichorisandra Thyrsiflora – é uma planta tipicamente tropical com hastes alongadas onde despontam as flores azuis. Cultive a planta a meia sombra com regas regulares.

Imagem 55 – Buquês perfumados de gerânio para o jardim

Buquês perfumados de gerânio para o jardim
O Gerânio – Pelargonium – além de ser uma flor muito bonita e também muito perfumada. Pode ser cultivada em jardins e canteiros, mas sua beleza se destaca mesmo nos vasos. O cultivo deve ser feito a sol pleno com regas regulares.

Imagem 56 – Exótica Geum Quellyon.


A Geum Quellyon é uma flor nativa do Chile e muito utilizada pelo povo mapuche para tratamento de inflamações dentárias. Em jardins, essa flor tem um alto valor ornamental.

Imagem 57 – Todo o encanto da Glicínia.


A Glicínia – Wisteria – é uma planta do tipo trepadeira muito usada para cobrir pergolados criando um efeito visual incrível. A planta possui flores pendentes em forma de cachos nas cores lilás, branca e rosa. A Glicinia aprecia o frio, mas deve ser cultivada a sol pleno e com regas regulares.

Imagem 58 – A bela e venenosa Heléboro

A bela e venenosa Heléboro
A Heléboro – Helleborus Orientalis – é uma erva que cresce até 45 centímetros de altura e floresce no final do inverno. Suas flores em forma de taça são muito bonitas. Entretanto, a planta deve ser manuseada com cuidado, pois todas as suas partes são venenosas.

Imagem 59 – Alegre e tropical: a helicônia é sempre um sucesso.

Alegre e tropical: a helicônia é sempre um sucesso
A Helicônia – Heliconia Rostrata – é uma planta de alto valor ornamental e compõe perfeitamente projetos de estilo tropical. Suas inflorescências são pendentes e nas cores vermelha e amarelo. A helicônia deve ser cultiva a sol pleno ou meia sombra e irrigada com frequência.

Imagem 60 – Beleza efêmera da Hemerocale

Beleza efêmera da Hemerocale
A Hemerocale – Hemerocallis Fulva – tem uma característica muito interessante: suas flores duram apenas um dia. E daí que vem o nome que se origina do grego hemero (dia) e kallos (beleza). Mesmo possuindo uma beleza efêmera, a Hemerocale é uma planta muito apreciada para jardinagem. O cultivo é simples, a planta pede apenas que não seja regada em excesso.

Imagem 61 – Aprecie a beleza havaiana com as flores do Hibisco.

Aprecie a beleza havaiana com as flores do Hibisco
O Hibisco – Hibiscus Rosa-Sinensis – é uma flor típica do Havaí, mas que se adaptou muito bem ao clima e a cultura brasileira. Muito usada para cercas vivas, o Hibisco também se adapta a diversas outras propostas paisagísticas. O cultivo do hibisco envolve sol pleno, irrigação regular e adubação periódica.

Imagem 62 – Apaixone-se pelos buquês de Hortênsia

Apaixone-se pelos buquês de Hortênsia
A Hortênsia – Hydrangea Macrophylla – é uma planta muito popular no Brasil e que se adapta melhor em regiões frias. A coloração das hortênsias está ligada ao PH do solo, quanto mais ácido, mais azul. Deve ser cultivada a sol pleno e com regas periódicas. Após a floração, a planta deve ser podada.

Imagem 63 – Toda simplicidade da Ipoméia

Toda simplicidade da Ipoméia
A Ipoméia – Ipomoea Cairica – é um tipo de trepadeira de crescimento rápido e que se desenvolve bem até nos solos mais pobres. Não exige grandes manutenções e cuidados, pede apenas que seja cultivada em sol pleno.

Imagem 64 – Leve beleza para os muros da casa com a Ixora.

Leve beleza para os muros da casa com a Ixora
A Ixora – Ixora Coccinea – é um tipo de arbusto de clima quente muito utilizado rente a muros e cercas. O cultivo da planta envolve sol pleno e regas periódicas, dispensando outros tipos de cuidados.

Imagem 65 – De flores alaranjadas, a Jasmim do Imperador é puro perfume

De flores alaranjadas, a Jasmim do Imperador é puro perfume
A Jasmim do Imperador – Osmanthus Fragrans – é considerada uma arvoreta, capaz de alcançar até quatro metros de altura. As folhas alaranjadas da planta possuem um aroma doce e frutado. O cultivo da Jasmim do Imperador envolve principalmente a exposição a luz solar direta.

Imagem 66 – Branca e perfumada Jasmim Manga

Branca e perfumada Jasmim Manga
A Jasmim Manga – Plumeria Rubra – é uma planta muito ornamental, mas ela chama atenção mesmo pelo seu perfume adocicado. A Jasmim Manga se desenvolve melhor em regiões quentes, sob sol pleno e solo fértil.

Imagem 67 – Mais uma opção cheirosa e delicada de Jasmim.

Mais uma opção cheirosa e delicada de Jasmim
As flores da Jasmim dos Açores – Jasminum Azoricum – assim como as outras espécies de jasmim, é perfumada e delicada. O cultivo é o mesmo dos demais tipos de jasmim, no entanto, essa espécie tem uma floração tímida no primeiro ano.

Imagem 68 – Um jasmim de inspiração poética

Um jasmim de inspiração poética
A espécie Jasminum Polyanthum, popularmente conhecida como Jasmim dos Poetas, é um tipo de trepadeira que se demonstra muito ornamental para projetos de inspiração romântica. Cultive a sol pleno com regas regulares e pode sempre que se achar necessário.

Imagem 69 – Flores em formato de estrela.

Flores em formato de estrela
A Jasmim Estrela – Trachelospermum Jasminoides – é outra espécie de jasmim. Essa planta trepadeira de flores brancas, delicadas e com aparência de estrela pode chegar aos três metros de altura. Quando cultivada a sol pleno, a Jasmim Estrela floresce com mais abundância.

Imagem 70 – Lantana: show de cores no mesmo buquê.

Lantana: show de cores no mesmo buquê
A Lantana é uma flor muito ornamental. Suas flores desabrocham em formato de buquê com cores que variam entre o amarelo, vermelho, laranja e rosa. A Lantana deve ser cultivada a sol pleno.

Imagem 71 – A exuberância alaranjada das Lanternas Chinesas

A exuberância alaranjada das Lanternas Chinesas
A Lanterninha Chinesa – Abutilon Striatum – é um arbusto rústico com flores que se destacam pelo aspecto que realmente lembra lanternas. As cores quentes e vibrantes destacam ainda mais a planta. A Lanterninha Chinesa deve ser cultivada a sol pleno e receber podas anuais para garantir a próxima floração.

Imagem 72 – Fique com a tranquilidade e o perfume das Lavandas

Fique com a tranquilidade e o perfume das Lavandas
A Lavandula Dentata é uma entre as várias espécies de Lavandas. Com características muito similares a Alfazema, a Lavanda é uma excelente opção para criar canteiros e bordaduras. Não exige solo fértil, mas precisa de uma boa drenagem para se manter saudável.

Imagem 73 – Lindheimeri: a flor borboleta

Lindheimeri: a flor borboleta
A Lindheimeri – Gaura Lindheimeri – é uma flor delicada e que se caracteriza pelo seu formato de borboleta. A Gaura pode ser plantada em vasos, canteiros e bordaduras. O cultivo deve ser a sol pleno com regas frequentes.

Imagem 74 – Beleza singela dos Lirios de Dia.

Beleza singela dos Lirios de Dia
A flor do Lírio de Dia é muito ornamental e comumente usada em arranjos florais. A planta pode ser cultivada em vasos ou canteiros, desde que receba a quantidade necessária de luz diariamente.

Imagem 75 – Delicada, doce e perfumada: conheça a Madressilva

Delicada, doce e perfumada: conheça a Madressilva
A Madressilva – Lonicera Japonica – é uma planta trepadeira delicada e de perfume adocicado. Suas florzinhas vão desde o branco até o amarelo claro. Cultive-a sob sol pleno e regue-a frequentemente, pois a planta tende a se desidratar com facilidade, especialmente quando plantada em vasos.

Imagem 76 – Malcolmia Maritima: planta de crescimento rápido e muito ornamental.

Malcolmia Maritima: planta de crescimento rápido e muito ornamental
A Malcolmia Maritima é uma planta de pequeno porte que possui um crescimento rápido capaz de encher o jardim de um doce e delicado perfume. Luz e solos férteis são o que a Malcolmia Maritima precisa para se desenvolver.

Imagem 77 – Manacá da Serra, uma pequena notável.

Manacá da Serra, uma pequena notável
O Manacá da Serra – Tibouchina Mutabilis – é um tipo de árvore de pequeno porte reconhecida pelas suas flores de coloração exuberante. A mesma planta possui até três tons de flores, dependendo do estágio de maturação de cada flor. Essa é uma ótima opção para o plantio em calçadas, já que a planta não possui raízes agressivas. O Manacá da Serra deve ser plantado em solo fértil, sob sol pleno e receber regas frequentes durante o primeiro ano de vida.

Imagem 78 – A simplicidade e a delicadeza das Margaridas

A simplicidade e a delicadeza das Margaridas
A vida do campo, a simplicidade e a delicadeza passam pelas flores da Margarida – Leucanthemum Vulgare. A planta é muito popular no Brasil e se desenvolve facilmente em solos ricos em matéria orgânica e sol pleno.

Imagem 79 – Maria sem vergonha: muitas cores e fácil cultivo

Maria sem vergonha: muitas cores e fácil cultivo
A Maria-sem-vergonha – Impatiens Walleriana – é uma ótima opção de flor para jardineiros iniciantes ou para aqueles que não tem muito tempo para cuidar das plantas. Essa espécie possui fácil cultivo – prefere o calor, mas se mantem mais bonita em ambientes úmidos – e floresce o ano inteiro.

Imagem 80 – Mini, mas graciosa.


A Mini rosa – Rosa Chinensis – é uma versão diminuta das belas e maiores rosas que vemos por aí. Apesar do tamanho menor, essa variedade de rosa não exige cuidados diferenciados. Para manter as mini rosas bonitas, basta manter o solo sempre adubado, deixá-las se banhar com a luz solar e oferecer regas regulares, nunca deixando a terra totalmente seca.

Imagem 81 – Pingos azuis no jardim: esse é o efeito da Miosótis.

Pingos azuis no jardim: esse é o efeito da Miosótis
A Miosótis é uma flor pequena de coloração azulada popularmente conhecida como Não me esqueças. Deve ser cultivada a meia sombra em um solo fértil e úmido.

Imagem 82 – Narcisos: elegantes e charmosas

Narcisos: elegantes e charmosas
A Narciso é uma flor bulbosa, semelhante às tulipas. E essa característica torna a planta difícil de se adaptar ao clima brasileiro, sendo mais comum em países frios, especialmente os europeus.

Imagem 83 – Nemésia: uma flor e muitas cores.

Nemésia: uma flor e muitas cores
A Nemésia – Nemesia Strumosa – ou Joia do Cabo, é uma flor de alto valor ornamental, sendo encontrada em diferentes cores, entre elas o rosa, o laranja, o vermelho e o azul. Use-a em canteiros ou bordaduras para obter um efeito ainda mais bonito.

Imagem 84 – Com hora marcada para desabrochar.


A Onze-horas – Portulaca Grandiflora – é uma flor que abre durante a manhã e se fecha no período da tarde. Suas flores, de um rosa pink intenso, apreciam muito viver sob o sol pleno.

Imagem 85 – As papoulas e sua beleza sensível.

As papoulas e sua beleza sensível
A Papoula Islandesa – Papaver Nudicaule – é uma flor delicada, fina e muito sensível, mas nem por isso deixa de ser uma bela opção para canteiros e bordaduras. Gosta de sol, mas prefere os climas frios para florescer.

Imagem 86 – Pentstemon: flores em formato de sino

Pentstemon: flores em formato de sino
A Pentstemon se destaca pelo seu formato de sino. Muito apreciada nos canteiros e bordaduras das casas norte-americanas, o Pentstemon aprecia sol pleno e regas regulares.

Imagem 87 – Peonia: a flor dos arranjos de festa

Peonia: a flor dos arranjos de festa
A Peonia é uma flor muito ornamental, especialmente utilizada na decoração de festas, sendo inclusive usada em buquês de noivas. De crescimento lento, a Peonia precisa de sol pleno, solo fértil e regas regulares.

Imagem 88 – Primavera: uma flor escultural.

Primavera: uma flor escultural
A Primavera – Bougainvillea – é uma excelente opção para quem deseja criar um destaque a mais no projeto de paisagismo. Muito utilizada também para adornar portões, entradas e pergolados. Suas flores pequenas e numerosas são encontradas nas cores pink, vermelha, amarela e branca. O cultivo deve ser feito a sol pleno, solo fértil e com regas periódicas.

Imagem 89 – Uma espiga de flor.

Uma espiga de flor
A flor do tipo Primula Vialii é exótica e diferente. Ela se apresenta em um formato de espiga na cor rosa púrpura. Porém, a planta não é muito popular no Brasil.

Imagem 90 – Crie lindas jardineiras com a Primula.

Crie lindas jardineiras com a Primula\
As flores da Primula são lindas opções para adornar vasos e jardineiras dentro de casa. A planta aprecia meia sombra, solo fértil e bem drenado com regas frequentes.

Imagem 91 – Rabo de Gato: você entende o nome ao ver a planta

Rabo de Gato: você entende o nome ao ver a planta
A Rabo de gato – Acalypha Reptans- não tem esse nome por acaso. O aspecto de pelúcia com formato alongado realmente faz a flor lembrar um rabo felino. Mas não é só na aparência que a planta se destaca, a cor vermelha também chama atenção. Cultivá-la é simples, basta mantê-la a meia sombra, em um solo fértil e irrigado frequentemente.

Imagem 92 – Elas não poderiam ficar de fora: as belas e românticas rosas.


As Rosas estão entre as mais populares das flores. Elas são o símbolo do amor e da beleza. No paisagismo, a planta pode ser usada em jardins, canteiros ou plantada em vasos. O cuidado com as rosas inclui a exposição ao sol pleno, regas regulares e solo bem adubado. A planta pode sofrer com pragas e insetos, por isso é recomendado sempre verificar o estado de saúde da roseira.

Imagem 93 – Chame os beija-flores com a Sálvia Ananás

Chame os beija-flores com a Sálvia Ananás
A Sálvia Ananás – Salvia Elegans – é uma flor chamariz para os beija-flores e as borboletas. Contudo, a floração é curta.

Imagem 94 – Sálvia de Jerusalém: pequena e discreta

Sálvia de Jerusalém: pequena e discreta
A Sálvia de Jerusalém – Salvia Hierosolymitana – é uma planta do mediterrâneo oriental que aprecia o sol e o calor. Ao contrário dos outros tipos de sálvia, essa não possui usos medicinais.

Imagem 95 – Uma pequena moita lilás: é assim que a Sálvia Leucantha é reconhecida

Uma pequena moita lilás: é assim que a Sálvia Leucantha é reconhecida
A Sálvia Leucantha possui flores de tom lilás nas hastes da planta. Fácil de ser cultivada, essa espécie aprecia sol pleno, mas se adapta muito bem a meia sombra também.

Imagem 96 – Santolina e seus pequenos pompons amarelos.

Santolina e seus pequenos pompons amarelos
A Santolina – Santolina Chamaecyparissus – é um arbusto de flores amarelas em formato de pompom, o que faz da planta uma opção ideal para bordaduras e caminhos. As flores da Santolina também formam belos arranjos para vasos. O cultivo dessa espécie deve ser feito a sol pleno com regas espaçadas.

Imagem 97 – Dê vida a pergolados e caramanchões com a Sapatinho de judia.

Dê vida a pergolados e caramanchões com a Sapatinho de judia
A Sapatinho-de-judia – Thunbergia Mysorensis – possui flores que mesclam o amarelo com o marrom avermelhado. Tipicamente tropical, essa planta deve ser cultivada a sol pleno em solos férteis.

Imagem 98 – Pouco comum no Brasil, mas ainda assim vale a pena apreciar

Pouco comum no Brasil, mas ainda assim vale a pena apreciar
A Sedum Telephium – Hylotelephium Telephium – é uma planta típica da América do Norte com flores arroxeadas no topo da haste.

Imagem 99 – Pequenas e expressivas Torênias.


As Torênias – Torenia Fournieri – são flores de pequeno porte, também conhecidas como Amor Perfeito de Verão. As flores azuis com fundo branco se destacam em canteiros ou jardineiras. O cultivo da espécie deve ser feito a sol pleno e com regas frequentes.

Imagem 100 – Viburno: um arbusto florido e delicado.


O Viburno – Viburnum Tinus – ou Laurotino é um arbusto lenhoso muito apreciado no paisagismo. O cultivo deve ser feito em solo fértil e com um bom sistema de drenagem.

Imagem 101 – A espontaneidade da Vinca.


A Vinca – Catharanthus Roseus – é uma planta de fácil cultivo e que muitas vezes nasce espontaneamente nos jardins. A floração- branca nas extremidades e rosa no centro – dura por todo o ano. O cultivo da Vinca envolve sol pleno, regas regulares e solo fértil.