Lista de material escolar: como economizar e dicas para compra de materiais

Por -

Quem tem criança em casa, já sabe: basta chegar janeiro para começar a via crucis pelas papelarias da cidade em busca dos melhores preços para lista do material escolar.

Algumas coisas são indispensáveis, outras nem tanto, enquanto outras podem ser consideradas abusivas, caso tenham sido solicitadas pela escola.

Por isso, além de se preocupar em oferecer algo de qualidade para os filhos, os pais ainda precisam ficar de olho nos preços, na multidão espremida dentro das lojas e, claro, nas exigências absurdas feitas por algumas escolas.

A pergunta que fica é: como não ter um ataque dos nervos? Calma! A gente te ajuda. Fizemos esse post para te mostrar que é possível conciliar preço  e qualidade sem sofrer um colapso. Vem ver:

Dicas para economizar com a compra do material escolar

Reutilize

Antes de ir à loja fazer a compra dos materiais faça um apanhado geral de tudo o que sobrou do último ano.

Lápis, borracha, caneta, régua, cola, tesoura e estojo são só alguns dos itens escolares que podem ser reaproveitados tranquilamente pela criança.

Até a própria mochila pode ser passada de um ano para o outro. Se notar algum defeitinho, como um zíper quebrado, por exemplo, considere a possibilidade de consertar, melhor do que comprar uma nova.

Lembre-se apenas de checar a data de validade de alguns itens, especialmente tintas, uma vez que após o vencimento elas podem oferecer riscos à saúde das crianças.

Não deixe para última hora

Muitos pais deixam para comprar o material escolar nos 45 do segundo tempo. Com isso é claro que vão sofrer com lojas lotadas e preços acima da média, isso porque com o final do estoque do último ano, as lojas reajustam os preços para os materiais que acabaram de chegar.

Por isso, a grande dica aqui é: antecipe-se.

Compare preços

A regra de ouro para os pais que desejam economizar na compra do material escolar chama-se pesquisar.

Tire um dia só para fazer isso. Vá em pelo menos três lojas de papelaria diferentes e compare os preços. Você vai ver que é possível economizar até 50% em alguns itens.

Além de pesquisar, vale a pena também pechinchar. Peça desconto para o vendedor, especialmente se pretende comprar o material à vista.

E use a internet como aliada. É possível fazer um grande comparativo de preços usando a rede.

Deixe as crianças em casa

Parece brincadeira, mas não é. Levar as crianças para ajudar a comprar os materiais escolares pode ser um tiro no pé de quem deseja economizar.

Isso porque existem muitos apelos comerciais para encantar as crianças e, consequentemente, forçar os pais a comprar um determinado item ao invés de outro.

Portanto, deixe as crianças em casa, é melhor, acredite!

Esqueça os personagens

Se você quer economizar na lista de material escolar então anota essa outra dica: esqueça a ideia de comprar itens licenciados de marcas famosas, como Disney, Cartoon e DC, por exemplo.

Um simples caderno, por exemplo, pode custar o dobro do preço só porque tem a cara do Mickey impresso nele.

Personalize

Seguindo a ideia anterior, a dica agora é que você convide seu filho a personalizar o material da escola.

Assim, você não precisa comprar aquele caderno ou mochila super cara e a criança ainda ganha um material exclusivo e original.

Em sites como o Youtube é possível achar centenas de tutoriais ensinando como encapar cadernos, por exemplo.

Compra coletiva

Reúna os pais da escola do seu filho e proponha para eles a possibilidade de uma compra coletiva. Materiais como lápis, borracha, apontador, régua, tesoura, cola e folhas sulfite, por exemplo, podem ser comprados em atacado e, com isso, você economiza um bom dinheiro. 

Visite sebos

Ao invés de comprar livros novos, o que acha de procurar os títulos solicitados pela escola em sebos?

Nesses locais é possível encontrar obras pela metade do preço de um livro novo.

O que o Procon tem a dizer

O Procon, principal órgão de direito do consumidor, possui normas bem claras e definidas do que pode e do que não pode acontecer na hora da compra do material escolar.

A primeira delas diz respeito ao que as escolas não podem pedir aos pais. É comum que no inicio do ano, as escolas, principalmente as particulares, enviem o pedido de material aos responsáveis. Até aí, tudo bem.

O que não pode é exigir material em excesso, ou seja, que o aluno não vai utilizar ao longo do ano, como por exemplo, 10 borrachas ou 1000 folhas de sulfite.

A Lei Federal nº 12.886, em vigor desde 2013, também proíbe que as escolas peçam aos pais materiais de uso coletivo, de limpeza ou de uso administrativo como giz e canetas para lousa, tinta para impressora, papel higiênico, álcool, sabonete e rolos de fita adesiva, por exemplo.

Veja a seguir a lista completa dos itens que são considerados abusivos e não podem ser exigidos pelas escolas:

O que as escolas não podem pedir

  • Álcool hidrogenado;
  • Álcool Gel;
  • Algodão;
  • Agenda escolar da Instituição de ensino;
  • Bolas de sopro;
  • Balões;
  • Canetas para quadro branco;
  • Canetas para quadro magnético;
  • Clips;
  • Copos, pratos, talheres e lenços descartáveis;
  • Elastex;
  • Esponja para pratos;
  • Fita para impressora;
  • Giz branco;
  • Giz colorido;
  • Grampeador;
  • Grampos;
  • Lã;
  • Marcador para retroprojetor;
  • Medicamentos ou materiais de primeiros socorros;
  • Material de limpeza em geral;
  • Papel higiênico;
  • Papel convite;
  • Papel ofício;
  • Papel para copiadora;
  • Papel para enrolar balas;
  • Papel para impressoras;
  • Papel para flipchart;
  • Pastas classificadoras;
  • Pasta de dentes;
  • Pincel atômico;
  • Pregador de roupas;
  • Plástico para classificador;
  • Rolo de fita adesiva kraft;
  • Rolo de fita dupla face;
  • Rolo de fita durex;
  • Rolo de fita durex colorida grande;
  • Rolo de fita gomada;
  • Rolo de fita scolt;
  • Sabonete;
  • Saboneteira;
  • Sacos de presente;
  • Sacos plásticos;
  • Xampu;
  • Tinta para impressora;
  • Tonner.

As escolas também não podem exigir a compra de materiais de marcas específicas, muito menos indicar papelarias e lojas onde os materiais deverão ser comprados.

Assim como as instituições de ensino, as lojas e papelarias também precisam se adequar as regras do Procon. Segundo o órgão, não é permitido cobrança abusiva de preços nessa época do ano.

Caso note qualquer abuso tanto da escola, quanto das lojas, a orientação é acionar o Procon da sua cidade e fazer a denúncia.

E o Inmetro?

Os pais também precisam ficar atentos aos produtos que possuem selos de segurança do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

Atualmente 25 itens de papelaria passam pela aprovação de uso e segurança do órgão. São eles:

  • Apontador;
  • Borracha e Ponteira de borracha;
  • Caneta esferográfica/roller/gel;
  • Caneta hidrográfica (hidrocor);
  • Giz de cera;
  • Lápis (preto ou grafite);
  • Lápis de cor;
  • Lapiseira;
  • Marcador de texto;
  • Cola (líquida ou sólida);
  • Corretor adesivo;
  • Corretor em tinta;
  • Compasso;
  • Curva francesa;
  • Esquadro;
  • Normógrafo;
  • Régua;
  • Transferidor;
  • Estojo;
  • Massa de modelar;
  • Massa plástica;
  • Merendeira / lancheira com ou sem seus acessórios;
  • Pasta com aba elástica;
  • Tesoura de ponta redonda;
  • Tinta (guache, nanquim, pintura a dedo plástica, aquarela)

O selo do Inmetro garante a qualidade do material, além de atestar que ele também é seguro para o uso da criança não contendo, por exemplo, substancias tóxicas que possam causar alergias ou materiais com pontas cortantes ou pontiagudas capazes de provocar lesões e acidentes.

O Inmetro também recomenda que os pais evitem comprar material de procedência duvidosa ou vindas do mercado informal.

Como fazer lista de material escolar

A lista de material escolar nunca será a mesma para todos os alunos. Isso porque tudo vai depender do ano e série que a criança está cursando, a escola onde está matriculada e aquilo que você pode reaproveitar de um ano para o outro.

Mas, mesmo assim, é possível planejar uma lista de material escolar padrão, levando em consideração os materiais mais utilizados para cada fase da vida escolar. Veja as sugestões:

Sugestão de lista de material escolar infantil

  • pincel;
  • massinha de modelar;
  • giz de cera;
  • papel sulfite;
  • tubo de cola;
  • caixa de lápis de cor;
  • livro de história infantil;
  • Tinta guache;
  • Pincel
  • Papéis variados (crepom, EVA, cartão)
  • Jogo de letra em madeira ou outro brinquedo educativo

Sugestão de lista de material escolar ensino fundamental

  • lápis
  • apontador;
  • caneta hidrográfica;
  • tesoura sem ponta;
  • tinta guache;
  • pincel;
  • cadernos de brochura;
  • caderno de desenho;
  • caderno de caligrafia;
  • dicionário;
  • pastas com e sem elástico;
  • papel sulfite;
  • revistas para recortae;
  • estojo;
  • régua;
  • canetinhas;
  • livros de acordo com a idade da criança;
  • giz de cera;
  • tubo de cola;
  • caixa de lápis de cor;
  • Papéis variados (crepom, EVA, cartão)
  • Jogo de letra em madeira ou outro brinquedo educativo

Sugestão de lista de material escolar ensino médio

Conforme as crianças vão crescendo, a necessidade de materiais diminui consideravelmente. Por isso, no ensino médio, é comum que as escolas peçam apenas:

  • cadernos;
  • régua;
  • lápis;
  • caneta esferográfica;
  • estojo;
  • tubo de cola;
  • caixa de lápis de cor;
  • papel sulfite

É sempre recomendado que a escola faça uma reunião de pais para entregar a lista de material. Dessa forma, os pais tem a oportunidade de tirar dúvidas, além de esclarecer e questionar a necessidade de alguns itens.

Os pais que se sentirem lesados ou notarem abuso por parte da escola devem recorrer ao Procon imediatamente.

E aí, depois de tudo devidamente comprado, é só acompanhar o seu filho em mais uma etapa da vida escolar.