Casa sustentável: o que é, exemplos e os principais pilares

Por - Atualizado em:

Você sabe o que é uma casa sustentável? Se na sua opinião, o conceito se resume apenas a painéis solares, então chega mais aqui nesse post porque temos muitas coisas legais para compartilhar com você.

O que é uma casa sustentável

Uma casa sustentável é uma casa que utiliza recursos naturais com eficiência e economia e que se adapta ao local onde está inserida.

Ou seja, ela é capaz de minimizar ao máximo sua presença no planeta, sendo amigável não só com o meio ambiente, mas com a sociedade.

Outra característica importante das casas sustentáveis é que elas são extremamente modernas, tecnológicas, confortáveis e, claro, lindas de viver.

Portanto, esqueça a ideia de que você vai parecer um brucutu dos tempos das cavernas ou um hippie maluco só porque mora em uma casa sustentável. Pelo contrário, uma casa sustentável está mais para os Jetsons, do que para os Flintstones.

Na verdade, as casas sustentáveis são o futuro. São a grande tendência justamente porque não existe outra possibilidade daqui para a frente.

Também é importante dizer que não existe uma regra de como deve ser a casa sustentável perfeita ou mais correta. Pelo contrário, existem dezenas de centenas de casas sustentáveis no mundo e a maioria delas são bem diferentes, tanto em termos de arquitetura, quanto em soluções tecnológicas sustentáveis.

O que importa mesmo é a mudança de consciência dos moradores da casa. Já que uma casa sustentável não tem a ver somente com o espaço em que se habita, mas com todo um estilo de vida.

Não adianta ter painéis solares de última geração e continuar trazendo sacolinha plástica do supermercado. Fica a dica!

Pilares de uma casa sustentável

Pilares de uma casa sustentável

Consumo eficiente de energia

O consumo consciente de energia elétrica é um dos maiores pilares de uma casa sustentável. E isso envolve diversas coisas, desde um bom projeto de iluminação artificial até a escolha de eletrodomésticos mais eficientes do ponto de vista energético.

O consumo de energia elétrica residencial é o segundo maior do país, perdendo apenas para o setor industrial.

E qual o problema aqui? A produção de energia elétrica é uma das mais poluentes do mundo.

Para chegar até a sua casa, a energia elétrica precisa passar por um processo dentro das usinas termoelétricas que envolve a queima de materiais fósseis (carvão ou gás natural) para ferver a água. O resultado disso é a emissão de toneladas de gases causadores do efeito estufa.

Ou seja, quanto menor a demanda por energia, menor é a poluição gerada.

Reaproveitamento de águas

Todo mundo sabe, desde as aulas da quinta série, de que a água é um recurso natural finito. Sim, ela pode acabar.

Por isso é fundamental (pra ontem!) a necessidade de reduzir e reaproveitar a água que chega às nossas casas.

E de que forma fazer isso? Fechando a torneira? Sim, esse é um ótimo passo. Mas existem outras maneiras também.

Uma delas (bem conhecida por sinal) é reaproveitar água da chuva. Dá para fazer isso no momento da construção, o que é mais indicado porque assim é possível realizar as conexões de modo que a água chegue às caixas de descarga, por exemplo, ou ao sistema de irrigação do jardim.

Mas é possível dar aquela improvisada, captando a água da chuva em toneis. Lembrando que eles precisam ficar bem vedados para evitar criadouros de mosquito da dengue.

Outra maneira é reutilizar a água que sai das torneiras, da máquina de lavar e do chuveiro, chamadas de águas cinzas. De novo, o momento da construção é o mais adequado para fazer o reaproveitamento dessas águas.

Acessibilidade e mobilidade

Quando você mora perto de locais estratégicos e que utiliza com frequência, como padaria, mercado, feira, escola, academia e até mesmo o trabalho e a faculdade, automaticamente reduz ou até mesmo elimina a necessidade de fazer deslocamentos de carro, podendo ir a pé ou de bicicleta.

Uma boa localização ainda traz maior qualidade de vida.

Conforto térmico e acústico

Uma casa sustentável também precisa ser confortável, faça sol ou faça chuva. Isso significa priorizar o uso de materiais naturalmente térmicos, como o barro, a argila e alguns tipos de cerâmica, por exemplo.

A disposição correta de portas e janelas também impacta diretamente no conforto térmico e acústico dos ambientes.

Prioridade para iluminação natural

Não existe casa sustentável que não seja também muito bem iluminada.

A iluminação natural evita, por exemplo, o uso desnecessário de energia elétrica para o acendimento de lâmpadas.

E mais uma coisa: casas bem iluminadas são também casas bem ventiladas. Ou seja, você evita o uso de ventiladores e ar condicionado.

Portas, janelas e todos os demais sistemas de iluminação e ventilação, como brises, claraboias e cobogos, devem ser planejados de acordo com a posição da casa para os pontos norte, sul, leste e oeste (olha as aulas da quinta série aqui de novo!).

Vãos e aberturas voltados para o lado sul e leste, por exemplo, trazem uma incidência menor e mais suave da luz solar, ideias para receber os quartos, por exemplo. As janelas podem ser maiores e sem a necessidade de aparatos para controle da luminosidade, como é o caso dos brises.

Já os vãos ao norte e oeste são os que mais recebem a luz solar, especialmente na parte da tarde, onde as temperaturas estão mais elevadas. Os ambientes voltados para esse lado devem ser aqueles de pouca permanência, como áreas de serviço, por exemplo. As portas e janelas devem possuir bloqueio parcial da luminosidade, com aberturas médias.

Essas orientações devem ser somadas ao local onde a casa será construída. Isso porque uma casa na região sul do país possui características e necessidades térmicas diferentes de uma casa na região norte ou nordeste.

Só depois de conhecer a fundo como será o projeto de iluminação natural é que se deve planejar a iluminação artificial, oferecendo pontos de luz sob medida para cada espaço.

Casa sustentável desde a planta

Materiais para construção sustentável

Uma casa sustentável pede por materiais igualmente sustentáveis. Por isso, nesse tipo de construção é comum o uso de materiais orgânicos (de procedência reconhecida), como madeira, pedras, bambu e cortiça, por exemplo.

Também são muito utilizados materiais fabricados a partir de material reciclado, como é o caso das telhas ecológicas feitas de embalagens Tetra Park.

Outra característica das casas sustentáveis é a utilização de materiais regionais, ou seja, fabricados próximos da residência, reduzindo assim a emissão de gases poluentes devido ao transporte do material.

Vale ainda apostar em materiais fabricados com substâncias menos agressivas, como as tintas ecológicas, feitas com corantes e pigmentos naturais livres de derivados do petróleo.

E, por fim, uma casa sustentável precisa reduzir ao máximo a necessidade de materiais para obra, assim como evitar a todo custo o desperdício. 

Tome nota de mais alguns materiais de construção sustentável para sua casa:

Casa sustentável no dia a dia

Uma casa sustentável deve continuar sendo sustentável mesmo depois de concluída a obra. Por isso, veja outras formas (muito simples) de continuar vivendo em um lar verde: 

  • Economize água e energia elétrica (sempre!)
  • Reaproveite materiais que iriam para o lixo, como potes de vidro, por exemplo.
  • Faça substituições de produtos agressivos, especialmente os de limpeza, por versões mais naturais, como o vinagre, limão, bicarbonato e sabão de coco
  • Deixe o carro na garagem e saia mais a pé ou de bicicleta
  • Faça uma mini horta em casa
  • Adote uma composteira e recicle seu lixo
  • Diminua o consumo e pare de comprar por impulso

Exemplos e projetos de casa sustentável

Exemplos e projetos de casa sustentável

Casa orgânica

Uma casa orgânica respeita as caraterísticas naturais do terreno e tudo aquilo que já está ali. Além disso, uma casa orgânica preza pelo uso de materiais naturais e pela integração com o espaço ao redor.

Atualmente o arquiteto mexicano Javier Senosiain é um dos maiores representantes desse tipo de construção.

Casa na árvore

Pode parecer coisa de criança, mas uma casa na árvore também se encaixa bem no conceito de moradias sustentáveis, especialmente pela ideia de integração com o meio.

Um lindo exemplo de casa na árvore com essa pegada sustentável é a Sustainability Treehouse, construída entre as árvores de uma floresta na Virginia, EUA.

Casa de tijolo ecologico

Cada dia mais popular, o tijolo ecológico é uma ótima opção de material para quem deseja uma casa mais sustentável, rápida e econômica.

No Brasil, por enquanto, elas ainda são mais comuns nas áreas rurais. Mas é super possível optar por esse tipo de construção em áreas urbanas.

Casa em bioconstrução

As casas que seguem o conceito de bioconstrução são construídas com materiais naturais e em um processo geralmente bem artesanal.

As mais conhecidas são aquelas feitas com barro, popularmente chamadas de pau a pique, mas que hoje em dia recebem outras nomenclaturas, como adobe ou hiperadobe.

Além do uso de materiais naturais para a construção, esse tipo de casa ainda possui sistemas próprios de abastecimento de água, geração de energia e destinação de resíduos, com destaque para o uso de fossas secas.

Casa container

As casas container estão cada dia mais pop no mundo inteiro. Feitas a partir de containers que não servem mais para as empresas de logística, essas casas prometem oferecer todo conforto e comodidade para seus moradores.